Promotoria da Flórida pede que Justiça arquive caso do goleiro Jean

A Promotoria do estado americano da Flórida solicitou à Justiça que o caso envolvendo o goleiro Jean, 24, acusado de agredir a esposa Milena Bemfica durante as férias do casal, em dezembro, nos Estados Unidos, seja arquivado.

De acordo com documento que o UOL teve acesso, o pedido foi feito no último dia 21. Nele, a assistente da promotoria Sarah Marie Castro escreve que "pela investigação que foi feita, é da opinião de quem subscreve que o caso não é passível de processo".

Jean foi preso na manhã de 18 de dezembro, após a polícia ser chamada ao seu quarto no hotel em que estava com a família, em Orlando, nos Estados Unidos. Durante a madrugada, sua esposa havia publicado um vídeo nas redes sociais, trancada no banheiro, denunciando a agressão.

Esposa do ex-são-paulino, Milena também divulgou mensagens enviadas pelo goleiro. Em uma delas, o atleta disse, ainda na madrugada, que ela teria acabado com sua carreira e causaria a fome das duas filhas do casal.

A mulher do goleiro depois apagou as postagens e publicou nova mensagem, que afirmou estar em segurança e que se pronunciaria depois. Mais tarde, a esposa disse estar bem e pediu respeito a Jean, que vinha sendo atacado nas redes sociais.

O atleta foi solto um dia após sua prisão, sem a obrigação de pagar fiança. Após o caso, o São Paulo decidiu suspender o contrato com o jogador até o final de 2020. O goleiro então acertou sua transferência por empréstimo ao Atlético-GO.

No boletim de ocorrência, o xerife do caso relatou que o atleta teria dado oito socos na vítima e que a mulher, tentando se defender, teria atirado uma chapinha de cabelo nele, o que teria cortado sua perna. Ainda segundo o documento, as filhas teriam testemunhado a agressão. (FolhaPressSNG)