Jornal do Brasil

Esportes

Time decide abandonar jogo após atos de racismo na Inglaterra

Jornal do Brasil

Em uma fase preliminar da Copa da Inglaterra, o pequeno time de Londres Haringey Borough, que era o mandante, abandonou o jogo contra o Yeovil Town neste sábado (19), após seus integrantes serem alvo de racismo por parte da torcida adversária.

A partida estava empatada em 0 a 0 quando o Yeovil teve um pênalti a seu favor, aos 19 minutos do segundo tempo. O lance demorou a ser cobrado por conta de objetos atirados pela torcida visitante contra o goleiro do Haringey. Quando foi dada autorização para a cobrança, Rhys Murphy abriu o placar.

Após gol, houve 35 minutos de paralisação, até que o árbitro da partida confirmasse que os mandantes haviam decidido abandonar o jogo.

À rede britânica BBC, Tom Loizou, técnico do Haringey Borough, denunciou xingamentos e agressões. O zagueiro Coby Rowe foi alvo de ofensas, enquanto o goleiro Valery Douglas Pajetat chegou a ser atingido por um cuspes e objetos atirados pela torcida.

"O abuso que meus jogadores sofreram foi nojento", afirmou Loizou. "Eu tomei a decisão de retirar meu time de campo e não quero que o Yeovil Town seja punido por isso. Se nós formos expulsos do campeonato e eles avançarem, não haverá ressentimentos."

À BBC, o técnico do Yeovil, Darren Sarll, disse que apoia a decisão do time adversário: "Nós, jogadores e técnicos, sofremos muitos abusos, mas ninguém deve se sentir discriminado quando vai jogar futebol. Eu faria qualquer coisa para vencer, mas há certos níveis e linhas que não se cruza. Não há como apoiar discriminação racial".

Em nota, o Yeovil afirmou que "não aceita racismo ou discriminação em nenhuma forma" e que irá cooperar com as autoridades nas investigações.

O incidente ocorre cinco dias depois de jogadores da seleção de futebol da Inglaterra serem alvos de ofensas racistas da torcida búlgara durante a vitória por 6 a 0 contra a Bulgária, pelas eliminatórias da Eurocopa de 2020.

O zagueiro inglês Tyrone Mings, que fazia seu primeiro jogo pela Inglaterra, foi um dos que ouviram sons que imitavam um macaco em pelo menos quatro oportunidades.

Além disso, torcedores fizeram saudações nazistas e mostraram uma camiseta em que havia o logo da Uefa e a frase "no respect" (sem respeito, em inglês), ironizando a campanha "respect" (respeito) da entidade, para tentar erradicar o racismo dos estádios.

Pelas redes sociais, Mings expressou seu apoio à atitude do Haringey Borough de abandonar o jogo. "Muito bom que tenham tomado um posicionamento, às vezes isso pode ficar apagado em ligas menores, mas todos estarão com vocês. Nosso país também não é perfeito", escreveu o jogador pelo Twitter.(FolhaPress SNG)