Vaga para Champions coroa trabalho de Gasperini na Atalanta

A classificação para a sua primeira Liga dos Campeões coroou o grande trabalho do técnico Gian Piero Gasperini sob o comando da Atalanta. Dona do melhor ataque da última Série A, o clube nerazzurro conseguiu a façanha mostrando um grande poder ofensivo e muita valentia.

Disputar competições europeias, no entanto, não é uma novidade para o time de Bérgamo. O clube também viveu um bom momento no início dos anos 1990, quando jogou duas edições da antiga Copa da Uefa. Na ocasião, a Dea era liderada pelo brasileiro Evair e o argentino Claudio Caniggia.

A melhor participação da Atalanta em um torneio internacional foi na temporada 1987/88, quando chegou nas semifinais da Recopa Europeia, sendo parado apenas pelo Mechelen, da Bélgica. O feito foi surpreendente na época, já que os Orobici estavam disputando a segunda divisão do Campeonato Italiano.

Entre 2000 e 2010, o clube não conseguiu manter a mesma força de antes e sofreu com três rebaixamentos. Tudo começou a mudar na outra década, após o título da Série B da temporada 2010/11. Desde então, a Atalanta não foi rebaixada e foi sobrevivendo na elite, até a entrada do treinador Gasperini, que mudou a história do time de 111 anos.

Com um surpreendente quarto lugar em 2016/17 e uma sétima colocação na temporada seguinte, a Atalanta teve a oportunidade de disputar a Liga Europa por duas temporadas seguidas. Apesar da façanha, o clube não se acomodou e Gasperini, ao lado de seus jogadores, buscaram por algo a mais na última Série A.

Mesmo sem contar com uma legião de craques, como a Juventus, por exemplo, que se reforçou com o astro Cristiano Ronaldo. O clube contou com o bom momento de dois homens de frente: o argentino Alejandro "Papu" Gómez, que foi o jogador com mais assistências da Série A (12), e o colombiano Duván Zapata, artilheiro do clube com 28 gols anotados.

O time, que possui em seu elenco o zagueiro brasileiro Rafael Tolói, também contou na temporada com as boas exibições dos defensores Timothy Castagne e Robin Gosens, bem como os meias Marten de Roon, Josip Ilicic, Mario Pasalic e Remo Freuler.

Apesar do início ruim na temporada, ficando sete rodadas sem vencer, a Atalanta conseguiu superar isso e goleou a Inter de Milão no primeiro turno, parou a poderosa Juventus com dois empates, venceu o Napoli em pleno San Paolo e bateu a Lazio dentro do Olímpico.

Além disso, a Atalanta conseguiu vencer seis partidas no torneio marcando quatro ou mais gols em um jogo. O destaque foi a vitória por 6 a 2 diante do Sassuolo, fora de casa, com o esloveno Ilicic anotando um hat-trick.

A equipe de Bérgamo chegou na última rodada com 12 jogos sem perder no Campeonato Italiano e continuou com a marca após bater o Sassuolo por 3 a 1, em Reggio Emilia. O clube da pequena cidade de Bérgamo, que fica a cerca de 50 quilômetros de distância de Milão, encerrou sua participação na Série A com 69 pontos e um incrível terceiro lugar, ficando na frente de Inter, Milan, Roma e Lazio.

Com 77 gols anotados na competição, a Atalanta teve um ataque mais efetivo do que a campeã Juventus, que balançou as redes 70 vezes no torneio, mesmo com CR7 no setor ofensivo. A Dea tomou 46 gols, ficou bem longe dos 30 levados pela Velha Senhora, mas o ataque compensou os tentos tomados.

A temporada só não foi melhor para os torcedores neroazzurri por conta do vice-campeonato da Copa da Itália. Após golear a Juventus por 3 a 0 nas quartas de finais, a Atalanta passou pela Fiorentina na semifinal, mas foi derrotada pela Lazio na decisão da competição.

Na Liga dos Campeões, o clube italiano não deverá ir apenas para passeio. Sobre as expectativas da Atalanta na competição, Gasperini afirmou que o seu time poderá "ir muito longe" no principal torneio de clubes do continente europeu.