Messi desabafa: "Meu filho me pergunta por que me criticam tanto na Argentina"

Ele disse que há jogadores com talento no time que disputará Copa América Brasil 2019

O astro Lionel Messi disse nesta sexta-feira que a seleção albiceleste tem sido tão maltratada e vítima de mentiras que seu filho Thiago lhe pergunta, sem entender , por que ele é criticado tão duramente na Argentina.

"Quero ganhar algo com a seleção, vou seguir tentando. E vou jogar todas as coisas importantes. Muita gente me pediu para que eu não fizesse isso e não voltasse a sofrer", disse em um raro tom de irritação, em declarações à Radio Club Octubre FM 94.7.

O atacante de 31 anos havia deixado Madrid em silêncio, para se reintegrar ao Barcelona, após uma derrota quase humilhante por 3 a 1 para a Venezuela há uma semana. O craque não jogou o segundo amistoso na terça-feira contra Marrocos, que a renovada seleção argentina venceu por 1 a 0.

"Meu filho Thiago, de 6 anos, me perguntou por que me matavam (atacavam) na Argentina. Ele assiste o tempo todo vídeos no Youtube. E me pergunta por que não gostam de mim. Eu tenho que passar por essas coisas, mas não me importa", disse.

As frustrações de torcedores e jornalistas argentinos em alguns momentos têm se canalizado na figura de Messi, de quem esperam que tenha um rendimento tão extraordinário quanto o que tem no Barcelona.

"As pessoas compram tudo o que é dito a elas. Depois eu sou o filho da puta, e os que mais sofrem com isso tudo sou eu e minha família. Muitas mentiras foram ditas. Todos os dias são ditas mentiras novas", reclamou ele, irritado.

Messi foi eliminado em sua primeira Copa do Mundo na Alemanha-2006, contra os alemães nos pênaltis, quando tinha 19 anos, mas assistiu a derrota do banco de reservas porque o técnico na época, José Pekerman, não o colocou em campo.

Depois perdeu três finais: uma no Mundial do Brasil em 2014, outra na Copa América Chile-2015 e a terceira na Copa América Centenário EUA-2016. Também disse adeus prematuramente a outras competições como a Copa do Mundo da África do Sul-2010, a Copa América da Argentina-2011 e o Mundial da Rússia-2018.

Macaque in the trees
Craque Lionel Messi (Foto: AFP PHOTO / Johannes EISELE /)

Messi também se revoltou com os comentários a respeito de sua volta antecipada ao Barcelona, antes da partida contra Marrocos: "Disseram que fui embora por causa de um batizado, como se eu fosse deixar de jogar uma partida por causa de um batizado. É uma estupidez tremenda".

O craque contou que vem sofrendo com uma "pubalgia, e o técnico (Lionel Scaloni) decidiu" deixá-lo descansar, para que "a lesão não se agrave. Nada além disso".

"Esta seleção foi maltratada durante 10 anos. Este grupo não vendeu fumaça, não está o tempo todo dizendo que ama a seleção. Demonstramos isso de outra maneira. Fizemos muito pela equipe, somos profissionais", afirmou.

Sobre a seleção que se prepara para a Copa América Brasil-2019, apontou: "Dos garotos novos, todos me surpreenderam. Há jogadores com talento e qualidade. Sem contar o primeiro jogo, com a Venezuela, achei que foram bem".

"É preciso dar tempo a esses jogadores e temos que confiar neles", afirmou o maior artilheiro da história da seleção argentina, com 65 gols.

O astro admitiu que depois da Copa do Mundo da Rússia-2018, "teríamos que ter buscado uma paz e uma harmonia com a imprensa. A seleção argentina está acima de tudo".

"Ser campeão do mundo é o máximo. Eu ganhei tudo a nível de clubes, mas é duro não ter conseguido no meu país", confessou.

O craque também criticou aqueles que disseram que a seleção argentina é "o clube de amigos de Messi" e destacou: "Andaram dizendo que eu escalava jogadores ou técnicos. O clube de amigos é 'Pipa' (Gonzalo) Higuaín, (Sergio) Agüero, (Javier) Mascherano, (Ángel) Di María, todos que naquele momento eram os melhores no mundo. Isso irrita demais".

dm/cl/aam