Um Fla-Flu diferente no Maracanã

Será o Fla-Flu do luto. Na primeira partida do Flamengo desde o trágico incêndio no Ninho do Urubu, que matou dez jovens das categorias de base, o time faz hoje clássico com o Fluminense, às 20h30, no Maracanã, para definir o segundo semifinalista da Taça Guanabara. Todos os rubro-negros entrarão em campo com o nome de vítimas nas camisas. Entre as homenagens programadas, 60 mil balões brancos serão distribuídos por todo o estádio, inclusive para os tricolores.

"Não temos uma fórmula mágica, algo que nos faça superar tudo num estalar de dedos. Não é um jogo qualquer. Vamos tentar acordar amanhã (hoje) e dar mais um passo adiante. Terão muitas homenagens, mas também temos um jogo, e vamos honrá-los como sempre fizemos no Flamengo", admitiu Willian Arão. Como o volante recebeu pedidos das mães de Jorge Eduardo e de Rykelmo, jovens que eram fãs de seu futebol, vai usar o nome de um deles em cada tempo.

Fernando Diniz, por sua vez, tentou separar a tragédia da partida. Formado em psicologia, o técnico do Fluminense declarou que o ocorrido transcende o futebol.

"Fiquei muito entristecido com tudo o que aconteceu. O jogo, nesse sentido, nem é o mais importante. Não gostaria de associá-lo à tragédia. Ele vai acontecer e quem for melhor vai ganhar. O fato foi à parte", opinou.

Em meio às investigações desencadeadas pelo incêndio no CT do Flamengo, a Justiça determinou ontem a interdição temporária do Ninho do Urubu para crianças e adolescentes, até que o clube cumpra as exigências dos Bombeiros, da Defesa Civil e da prefeitura do Rio. Para se antecipar a possíveis denúncias, o gerente geral do Fluminense, Fernando Simone, confirmou que o CT Pedro Antônio não possui alvará, e admitiu que o tricolor ainda não tem o habite-se para alojar jovens em Xerém.

Um dia depois de Cauan Emanuel, um dos sobreviventes, deixar o hospital, foi a vez de Francisco Dyogo, de 15 anos, sair do CTI. O goleiro deve ser liberado hoje, e já vive a expectativa de comparecer ao Maracanã para assistir ao Fla-Flu.

Flamengo: Diego Alves, Pará, Rodrigo Caio, Rhodolfo e Renê; Cuéllar, Willian Arão, Éverton Ribeiro, Diego e Bruno Henrique; Gabigol. Fluminense: Rodolfo, Ezequiel, Digão, Matheus Ferraz e Marlon; Airton, Bruno Silva e Daniel; Luciano, Yony González e Everaldo. Juiz: Rodrigo Carvalhaes de Miranda.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais