Em meio à crise, Flu visita Bahia

Quando o Fluminense venceu o Atlético-MG por 1 a 0, na 30ª rodada, o restante do Campeonato Brasileiro parecia mero laboratório para a Copa Sul-Americana. Um mês depois, a equipe perdeu três partidas, empatou duas e não marcou sequer um gol, em meio à crise que assola os bastidores do clube. A sequência de resultados negativos fez o tricolor flertar com a zona de rebaixamento, que pode se tornar uma ameaça real em caso de novo tropeço hoje, às 21h, contra o Bahia, na Fonte Nova.

A situação é tão delicada que o presidente do Flu, Pedro Abad, organizou uma vaquinha com dirigentes e ex-dirigentes para atenuar os dois meses de salário e cinco meses de direitos de imagem atrasados. A diretoria repassou a quantia de R$ 150 no treino da última terça-feira aos jogadores, que repartiram igualmente o valor entre todos os funcionários do departamento de futebol.

“Jamais vamos criticar qualquer tipo de ajuda que venha ao elenco. Passamos por um momento difícil e todo auxílio é bem-vindo. Tanto que pegamos esse valor e dividimos por todos os funcionários. Não é só com palavras que demonstramos que todos estamos no mesmo barco”, declarou Jadson.

Bahia: Douglas, Bruno, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Paulinho; Elton, Gregore, Élber, Ramires e Zé Rafael; Edigar Junio (Gilberto). Fluminense: Júlio César, Léo, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Jadson, Dodi (Zé Ricardo), Cabezas, Sornoza e Everaldo; Luciano. Juiz: Flávio Rodrigues de Souza (SP).