Vasco busca quebra de tabus

A cada vez que o Vasco se dirige ao Galeão ou ao Santos Dumont, aumenta o drama da torcida. O time ainda não venceu fora de casa neste Brasileiro. Mas hoje, às 19h, a equipe precisará esquecer esse retrospecto para enfrentar o Sport, na Ilha do Retiro. Outra escrita está em jogo: emendar duas vitórias consecutivas pela primeira vez na competição.

O termo “confronto direto” soa exagerado, dados os sete pontos de distância entre o Vasco e o vice-lanterna. Só que esse será o clima da partida no Recife, uma vez que os pernambucanos darão um enorme passo rumo à Série B em caso de tropeço. E os vascaínos podem garantir uma dose de tranquilidade na reta final.

Passadas 29 rodadas, já é possível cravar que a equipe de São Januário nunca demorou tanto a ganhar longe de seu caldeirão na era dos pontos corridos. E nem nas campanhas dos três rebaixamentos o aproveitamento foi tão ruim quanto o deste ano, de 16%.

O pífio desempenho fora em 2018 chega perto de 2003, quando o Vasco completou as 46 rodadas com 20% de aproveitamento como visitante. Na ocasião, apenas duas vitórias. Junto a 2010 (com quatro times a menos), é o número mais baixo de triunfos da equipe.

Sport: Mailson, Cláudio Winck, Ernando, Adryelson e Sander; Marcão, Jair, Gabriel, Marlone e Mateus Gonçalves; Michel Bastos. Vasco: Fernando Miguel, Rafael Galhardo, Werley, Leandro Castán e Ramon; Bruno Ritter, Desábato, Willian Maranhão, Pikachu e Fabrício; Maxi López. Juiz: Wilton Pereira Sampaio (GO).

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais