NYT corrige texto editorial de Lula

O jornal norte-americano New York Times corrigiu nesta sexta-feira (17) o texto de um editorial escrito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no qual ele afirma que 'ter sido condenado a 12 anos e um mês de prisão com base apenas nas declarações de um delator. "A minha condenação e prisão são baseadas exclusivamente nas declarações de uma testemunha cuja sentença foi reduzida em troca do que ele disse contra mim", escreveu o petista na última terça-feira (14).    

Na nova versão disponível no site do jornal, Lula diz que "um aspecto fundamental do processo contra mim foi o depoimento de uma testemunha cuja sentença foi reduzida como parte de um acordo judicial".    Além disso, a publicação norte-americana acrescenta, em nota, que "a afirmação de uma testemunha foi parte fundamental do julgamento [contra Lula], mas não a única prova".    

No texto, Lula denuncia um suposto golpe de direita no Brasil e afirma que a ex-presidente "Dilma Rousseff sofreu impeachment por uma ação que até mesmo seus oponentes admitiram não ser uma ofensa imputável". O petista também ressalta que foi mandado para a prisão depois de uma julgamento duvidoso, última fase do golpe.