Candidatos à Presidência participam de debate na RedeTV!

Os candidatos à Presidência da República participam, na noite desta sexta-feira (17), do segundo debate na TV para as eleições de 2018. Estão presentes os seguintes  candidatos: Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Jair Bolsonaro (PSL), Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL) e Henrique Meirelles (MDB). 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou pedido do PT para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está preso, participasse do debate por videoconferência ou videos previamente gravados sobre assuntos diversos. O vice de Lula, Fernando Haddad, também não poderá participar do programa. 

>> Acompanhe ao vivo

>> TSE nega novo pedido de Lula para participar de debate

>> Comitê da ONU pede que Lula exercite direitos políticos

>> Itamaraty reage a recomendação de comitê da ONU sobre Lula

Primeiro bloco

Discursos contra a corrupção foram frequentes. Ex-ministro da Fazenda de Michel Temer (MDB), Meirelles foi alvo de Bolsonaro e Boulos, que buscaram associar a imagem do candidato à do presidente. Candidatos responderam a perguntas da população sobre educação, segurança e geração de empregos. Houve pouco enfrentamento entre os postulantes ao Planalto nas perguntas de candidatos para candidatos.

Daciolo x Bolsonaro

"Eu sou defensor da família tradicional brasileira", disse Cabo Daciolo após ser questionado por Bolsonaro sobre temas como legalização do aborto e do consumo de drogas, temas sobre os quais disse ser contra.

Boulos x Meirelles

Boulos ataca Meirelles recordando o fato de que o ex-ministro integra o MDB, partido de diversos políticos acusados de corrupção. De acordo com o emedebista, ele integrou "o time dos sonhos" responsável por recuperar o País. O candidato do PSOL respondeu dizendo que na realidade a equipe virou "o time do pesadelo" para o País. Em ataque, Meirelles defendeu-se dizendo que ajudou a criar empregos "para quem trabalha, não para quem invade terras alheias". 

Meirelles x Bolsonaro

Meirelles pergunta o que Bolsonaro fará para combater o desemprego. A resposta do candidato do PSL começa com acusações às antigas gestões, das quais o candidato do MDB fez parte.

Respondendo a Meirelles, Bolsonaro volta a falar na criação de ministérios independentes.

Marina x Álvaro Dias

Marina Silva menciona a prisão de Lula e acusações de "graves crimes" contra Aécio Neves. Ela pergunta a Alvaro Dias como criar empregos de forma sustentável. O candidato do Podemos diz que o combate à corrupção é uma das ações necessárias. Outras medidas elencadas por ele: segurança jurídica, desburocratização e reforma tributária. Como resposta, Marina prometeu moradia digna para os brasileiros e "criar um novo ciclo de prosperidade", com empregos em diversos setores.

Ciro x Alckmin

Ciro Gomes pergunta a Geraldo Alckmin se ele pretende manter a PEC do Teto caso eleito presidente. O tucano defende a redução do tamanho do Estado para resolver a situação. Em resposta, Ciro chamou a emenda de "impraticável" e prometeu revogá-la caso assuma o Palácio do Planalto. Na tréplica, Alckmin disse que a PEC do Teto foi "uma espécie de vacina contra o PT e seus aliados que quebraram o Brasil".

Segundo bloco

Os candidatos foram questionados por jornalistas. Críticas ao governo Temer sobre a economia do País, desemprego e sobre sua atuação durante a greve dos caminhoneiros apareceram. Bolsonaro atacou o MDB do presidente e de Meirelles: 'é o partido do toma lá, dá cá". Foram citadas necessidades de reformas. Marina defendeu uma reforma da Previdência. Alckmin pediu uma reforma política. 

O terceiro bloco haverá mais um confronto direto entre os candidatos, com 30 segundos para perguntas, um minuto para respostas e 45 segundos para réplicas e tréplicas.

No quarto bloco, os candidatos terão 45 segundos para falarem sobre um tema livre.