Militantes assinam manifesto pela união da esquerda em eleição para Prefeitura

Quadro histórico da esquerda no Rio de Janeiro, o ex-deputado Vivaldo Barbosa, que lançou um manifesto divulgado pelo Jornal do Brasil nesta semana propondo a união das forças de esquerda na eleição para a Prefeitura da capital, divulgou nesta quinta-feira (29) o manifesto e os signatários do documento. Os militantes pedem que os candidatos Marcelo Freixo (Psol), Jandira Feghali (PCdoB), Alessandro Molon (Rede) e Cyro Garcia (PSTU) se unam e fechem um acordo antes do primeiro turno no próximo domingo (2) em torno de um único candidato, de preferência o que tenha mais chance de chegar ao segundo turno para concorrer com o senador Marcelo Crivella (PRB).

>> Vivaldo Barbosa defende uma mobilização pela esquerda nas eleições à Prefeitura

>> Eleição: militantes progressistas lançam manifesto pela união da esquerda

Veja o manifesto e as assinaturas:

Militantes progressistas e de esquerda, diante da forte indicação de que forças políticas fisiológicas e atrasadas estão se tornando aptas para ocuparem o segundo turno das eleições à prefeitura do Rio de Janeiro, deixando fora da disputa as forças populares, democráticas, progressistas e de esquerda, como indicam pesquisas e a realidade política, apelam aos candidatos Alessandro Molon, Ciro Garcia, Jandira Feghali e Marcelo Freixo e às direções partidárias para refletirem sobre a necessidade de unidade em torno de um candidato que possa disputar o segundo turno das eleições e defender na campanha as bandeiras democráticas, populares, nacionalistas e de esquerda.

O momento político é extremamente delicado para as forças democráticas, populares e de esquerda. A Prefeitura do Rio é de fundamental importância para a população pobre da cidade e para a luta política nacional. É inaceitável a continuidade do esquema político fisiológico que domina a política do Rio, assim como é inaceitável o Rio ficar sob o controle de forças políticas de forte conexão com o fundamentalismo religioso atrasado e primitivo. Não podemos nos permitir errar mais e deixar enfraquecida a luta popular e democrática.

Há muito as forças progressistas estão de fora do segundo turno das eleições no Rio de Janeiro.

As candidaturas já cumpriram o seu papel, fortaleceram os partidos e ajudaram na formação das bancadas.

Como a perspectiva é de estarem todas as candidaturas fora do segundo turno, nenhuma prevalece sobre outra, o que possibilita encontrar a solução mais adequada. É oportuno que os candidatos se disponham a rever o programa e a estratégia da campanha, face à nova situação criada.

Propomos reunião entre os candidatos e as direções partidárias, de emergência.

Em nome do Rio, em nome do povo brasileiro, em nome do Brasil.

Adir Ben Kauss

Ana Tereza Camargo

Antonio Gerson de Carvalho

Beatriz Bissio

Ceci Juruá

Clovis Nascimento

Eny Moreira

Fernando Siqueira

Isabel Lustosa

Jesus Chediak

José Carlos Assis

José do Vale

João Leonel Estery Brizola

João Sicsu

Lincoln Pena

Luiz Pinguelli Rosa

Mário Novello

Nelson Rocha

Nilo Batista

Odair Dias Gonçalves

Olimpio Alves dos Santos

Otávio Velho

Paulo Metri

Pedro Celestino

Raimundo Oliveira

Reynaldo Barros

Ricardo Maranhão

Roberto Amaral

Roberto Saturnino Braga

Sebastião Soares

Sulamis Dain

Theotônio dos Santos

Thiago Signorini Gonçalves

Vivaldo Barbosa