TRE-RJ: Rio tem mais de 300 prisões por crime eleitoral

A diretora-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), Adriana Brandão, informou, às 15h15 deste domingo (5), que até o momento mais de 300 prisões já foram feitas por crimes eleitorais em todo o estado, sendo mais de 200 só na capital.  Deste presos, sete eram candidatos, sendo cinco apenas na capital.

Brandão comentou o fato de algumas urnas estarem demorando para finalizar a votação, de acordo com eleitores. Eles teriam relatado que, ao final, aparece no visor uma barra com porcentagens e em muitos casos não apareceria a palavra "fim". De acordo com a diretora-geral, muitas urnas utilizadas nestas eleições são de 2004, que têm um processamento de finalização mais lento. "Mas o eleitor pode ficar tranquilo que tudo está acontecendo dentro da normalidade."

Brandão também assegurou que, em locais onde as filas estão muito grandes, os eleitores poderão votar mesmo depois das 17 horas, desde que tenham chegado à sua seção eleitoral antes das 17 horas. A diretora do TRE também negou que o extrato de votos em cada candidato esteja aparecendo no visor de algumas urnas, como relataram alguns eleitores. Ela afirmou que consultou a secretaria de informática do TRE que disse que seria impossível isso acontecer.

Ainda de acordo com a diretora-geral, até o momento 570 urnas foram substituídas no estado, o que representa 1,74% do total.