Dilma, Aécio e Marina votam com confiança mas evitam especular sobre 2º turno

Os principais candidatos à Presidência da República votaram na manhã deste domingo (5) mostrando confiança e otimismo. Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) votaram em Porto Alegre, Minas Gerais e Acre, respectivamente. 

Marina Silva votou por volta das 10h30, no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Ela estava acompanhada pelo pai e pelo marido.

A candidata entrou na sala de votação às 10h37, cumprimentou mesários e posou para fotos, fazendo o "V" de "vitória". Ela chegou ao Acre para votar na noite deste sábado (5) e participou de carreata pelas ruas da capital acriana.

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, votou por volta das 10h20, em um colégio no bairro de Lourdes, no centro de Belo Horizonte. Ele estava acompanhado da mulher, Letícia Weber, e do candidato ao Senado, Antonio Anastasia. Aécio cumprimentou eleitores e mesários.

O candidato levou cerca de um minuto para votar. Depois, posou para fotos e também fez o gesto de "v" de vitória. Em entrevista à imprensa, em um hotel da capital mineira, o tucano disse que não iria falar sobre um eventual apoio de Marina Silva no segundo turno. "Eu tenho enorme respeito pela candidata. Falar em segundo turno antes da apuração não seria um gesto respeitoso", afirmou. 

A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, votou por volta das 8h45 de hoje (5) na Escola Estadual Santos Dumont, na Vila Assunção, zona sul de Porto Alegre. Ela estava acompanhada do candidato à reeleição ao governo estadual Tarso Genro, que vota no mesmo local, e do candidato ao Senado, Olívio Dutra.

Na chegada, ela cumprimentou os mesários. Depois de votar, ela também fez o 'V' da vitória, mostrou o comprovante de votação e disse que é um incentivo ao voto.

Mais cedo, Dilma tomou café da manhã com aliados políticos em um hotel no centro da capital gaúcha. Ela disse que não considera a hipótese de ganhar no primeiro turno e sempre trabalhou com a possibilidade de disputar o segundo turno. Dilma preferiu não indicar quem prefere enfrentar no segundo turno, porque isso seria "desrespeitoso".

"Trabalho com dois turnos. A hipótese que tenho trabalhado desde o início da eleição são dois turnos. O resto só as urnas vão definir o que acontecerá e como acontecerá”, destacou. "Não sou eu quem tem que preferir [quem enfrentar]. É o povo. Não sou instância de decisão neste caso. Não tem como me decidir diante de um candidato ou de outro", acrescentou.

A presidenta pediu aos eleitores que votem com consciência. “Votem com consciência e paz no coração. Nesta hora a gente tem que ter clareza que quem conquistou tem de defender o que conquista. Por isso, na hora do voto, esta é uma inspiração que cada um de nós deve ter: a defesa do que já conquistou. Ao mesmo tempo lembrar que um cidadão, uma cidadã, um voto é uma arma que todos os integrantes do povo brasileiro têm que se dar conta que é muito importante porque ela é a arma que dá poder aos mais pobres.”

Dilma embarca ainda nesta manhã para Brasília, onde acompanha a apuração dos votos.