PSDB promete denunciar Dilma por 'uso eleitoral' em pronunciamento

O PSDB acusou o PT e a presidente Dilma Rousseff de usar o pronunciamento oficial, transmitido em cadeia nacional de rádio e TV na quinta-feira (6), para beneficiar os candidatos da base aliada nas eleições municipais deste ano. Em nota assinada pelo presidente nacional da legenda, Sérgio Guerra, o PSDB afirma que vai "denunciar o uso indevido e eleitoral" do pronunciamento, que foi ao ar na véspera de feriado do Dia da Independência.

"A menos de um mês das eleições municipais - nas quais seu partido vem registrando um desempenho sofrível, tendo em vista que só lidera a disputa em uma das 27 capitais do país - a presidente Dilma não se conteve apenas em exaltar seu próprio governo, anunciando a redução das tarifas de energia, uma medida que, curiosamente, só seria implementada de fato a partir de janeiro do próximo", diz a nota do PSDB, que ainda acusa o governo federal de se valer da máquina pública "para atacar adversários, tentar reduzir o desgaste sofrido pelo avanço das condenações no julgamento do mensalão".

Além de anunciar corte em tarifas de energia e prometer retomada do crescimento, Dilma exaltou os efeitos de sua gestão e criticas ao processo de privatização realizado por Fernando Henrique Cardoso, entre 1997 e 2000 - o que ela chamou de "antigo e questionável modelo de privatização de ferrovias, que torrou patrimônio público para pagar dívida, e ainda terminou por gerar monopólios, privilégios, frete elevado e baixa eficiência".

O candidato do PSDB em São Paulo, José Serra, já havia criticado a presidente na sexta-feira (7). "É campanha eleitoral com a presidência da República. A Dilma participar da eleição é normal. Não tenho nenhuma objeção, faz parte da regra do jogo. Agora, usar a cadeira nacional pra fazer politica eleitoral tá muito errado", afirmou durante agenda de campanha.

Para o PSDB, Dilma seguiu o exemplo de seus ministros que prometem "tratamento privilegiado para os municípios que elegerem candidatos do PT". "A presidente Dilma se valeu da prerrogativa de convocar uma cadeia nacional de rádio e TV para atacar a política de privatizações adotada pelo governo tucano do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, como se seu governo não tivesse aderido à mesma tese para garantir a retomada do crescimento da economia brasileira e obras indispensáveis para a infraestrutura do país", criticou o partido.