Renúncia de João Paulo Cunha termina em confusão em Osasco 

Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de lavagem de dinheiro, peculato e corrupção passiva, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) renunciou nesta quinta-feira à disputa pela prefeitura de Osasco. Com isso, o então vice na chapa, Jorge Lapas, será o candidato do partido na cidade, como confirmou o presidente da legenda em Osasco, o vereador João Góis. O vereador Valmir Prascidelli (PT) também foi indicado para ser o novo vice na chapa.

No entanto, a plenária que oficializou a desistência de João Paulo Cunha acabou em confusão na sede do Sindicato dos Bancários de Osasco, por causa de militantes do PT que tentaram impedir a imprensa de filmar e fotografar a saída do ex-deputado do local. Os filiados ao partido fizeram um cordão de isolamento em frente à garagem do sindicato e empurraram os jornalistas. Uma fotógrafa do jornal O Globo foi agredida e teve seu equipamento derrubado.

Com o cordão de isolamento formado pela militância, Cunha e o atual prefeito de Osasco, Emídio de Souza, deixaram o local sem falar com a imprensa. No entanto, antes da confusão, integrantes do partido confirmaram que o deputado estava abatido por conta decisão do Supremo.

Apesar de a plenária ter sido fechada apenas para os filiados, foi possível ouvir parte do discurso do prefeito de Osasco, que pediu apoio ao novo candidato. "Todo empenho. Mas todo empenho para eleger Jorge Lapa. Dia 7 de outubro vamos para o segundo turno com toda energia e toda vibração", afirmou Souza.