Juros sobem com dólar em meio a expectativas por pesquisas eleitorais

Os juros futuros operam em alta, na esteira do dólar forte no exterior e frente o real. Os agentes de renda fixa monitoram a demanda pela moeda americana em meio a expectativas pelo início das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China e principalmente por duas pesquisas eleitorais para presidente no Brasil, que serão divulgadas nesta segunda-feira, 20.

O Instituto MDA divulga sua sondagem nacional às 11 horas, enquanto um levantamento do Ibope será divulgado pela Rede Globo, possivelmente à noite no Jornal Nacional. Outra pesquisa do Datafolha também é esperada para quarta-feira.

No exterior, uma delegação de nove autoridades chinesas estará em Washington na quarta e quinta-feira para retomar o diálogo sobre as desavenças comerciais entre as duas potências, segundo o The Wall Street Journal. A ideia é que os encontros desta semana culminem em uma reunião entre os presidentes Donald Trump e Xi Jinping em novembro.

Às 9h40, o DI para janeiro de 2020 indicava 8,22%, de 8,19% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2021 subia a 9,31%, de 9,26% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2023 estava a 10,93%, de 10,85% no ajuste de sexta-feira. No câmbio, o dólar à vista subia 0,41%, a R$ 3,9308. O dólar futuro de setembro estava em alta de 0,45%, a R$ 3,9365.

Mais cedo, o Boletim Focus não trouxe novidades. Os economistas do mercado financeiro mantiveram a previsão para o IPCA deste ano em 4,15% e, para 2019, em 4,10%. As projeções para a Selic para o fim de 2018 e de 2019 foram mantidas em 6,50% e 8,00%, respectivamente.

A expectativa de alta para o PIB este ano seguiu em 1,49%. Para 2019, o mercado manteve a previsão de alta do PIB de 2,50%.

Já a Fundação Getulio Vargas informou que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro avançou 3,3% em junho ante maio, por meio do Monitor do PIB. Na comparação com junho do ano passado, a atividade econômica teve elevação de 2,4% no mês de junho deste ano. No segundo trimestre, o PIB cresceu 0,3% ante o primeiro trimestre de 2018. Na comparação com o segundo trimestre de 2017, a atividade econômica avançou 1,2% no segundo trimestre deste ano.

Na agenda da semana, estão previstos o IPCA-15 de agosto (quinta-feira) e os dados do Caged de emprego formal em julho, sem data definida.

No exterior, são esperados a divulgação da ata do Fomc, nos Estados Unidos (quarta-feira) e o simpósio anual de Jackson Hole (quinta-feira), com discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, na sexta-feira.