Dólar sobe com pesquisas e negociações entre EUA e China no radar

O dólar opera em alta em relação ao real nesta segunda-feira, 20, em linha com a valorização da moeda americana no exterior. Investidores precificam expectativas por duas pesquisas eleitorais para presidente no Brasil, que serão divulgadas nesta segunda-feira, além de um compasso de espera pelo início das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

A primeira sondagem do Instituto MDA será conhecida às 11 horas, enquanto um levantamento do Ibope será divulgado pela Rede Globo, possivelmente à noite no Jornal Nacional. Outra pesquisa do Datafolha também é esperada para quarta-feira.

Na sexta-feira passada, predominou o clima de cautela com o cenário eleitoral no Brasil, dado o receio com a possibilidade de alta transferência de votos para Fernando Haddad (PT), vice na chapa de Lula, caso o ex-presidente tenha sua candidatura impugnada. Pesou também a expectativa em torno do debate entre presidenciáveis na RedeTV!.

No exterior, o dólar mostra viés de alta frente divisas principais e a maior parte das principais moedas emergentes ligadas a commodities. Os ajustes se apoiam em melhores perspectivas para as relações comerciais no globo. Negociadores americanos e chineses traçam um planejamento para que os diálogos comerciais entre os dois países, que começarão nesta semana, culminem em uma reunião entre Donald Trump e Xi Jinping em novembro. Nesse sentido, o plano representa o mais novo esforço das duas partes para evitar a escalada nas tensões que sacudiram os mercados globais nos últimos meses.

Em relação á Turquia, a lira volta a recuar ante o dólar hoje, após na sexta-feira a S&P e a Moody's rebaixarem o rating soberano do país. Analistas apontam que o quadro aparentemente mais calmo desta segunda-feira, um feriado local, não significa que a moeda esteja livre de pressões mais adiante.

Às 9h23, o dólar à vista subia 0,35%, a R$ 3,9273. O dólar futuro de setembro estava em alta de 0,36%, a R$ 3,9330.