Procon Carioca multa Itaú e Bradesco por atendimento

A digitalização dos serviços e a multiplicação dos caixas eletrônicas pelos cinco grandes bancos que controlam 85% das contas bancárias, provocaram a demissão de 40 mil bancários, sobretudo caixas, nos últimos dois anos. A manobra reduziu custos e aumentou os lucros. Mas não trouxe rapidez e melhoria no atendimento às pessoas que precisam usar os caixas. 

Em cima de altos lucros, os bancos, através da sua federação, a Fenaban, mostraram sua insensibilidade ao proporem ontem aos bancários reajuste de 3,90% (a variação do INPC), além de manter os salários sem aumento real (acima da inflação) nos próximos quatro anos. 

Reação dos bancários

Provocaram a reação dos bancários que se reúnem hoje para insistir numa proposta justa. Mas a insensibilidade dos bancos acabou sendo punida ontem pelo Procon Carioca. Em ações em vários bairros da Cidade, a operação “Chega de Fila” do Procon Carioca multou ontem 12 agências dos bancos Itaú e Bradesco por ultrapassarem os 15 minutos de espera para atendimento, determinados pela Lei 5.254/2.011. Todas reincidentes no descaso com os clientes que perdem parte do dia na fila. Muitas vezes sem assentos suficientes.  

Pela legislação, os bancos têm de oferecer 15 assentos para uso dos clientes preferenciais, além de banheiro e bebedouros para atendimento ao público. Em dias que antecedam ou posteriores a feriados prolongados, o tempo máximo para espera sobe a 30 minutos. As agências do Itaú 0.934, no Boulevard Vinte e Oito de Setembro, em Vila Isabel, e 5.631, na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, foram multadas em R$ 20 mil cada por excederem o tempo de espera. Também do Itaú, as agências 0281 e 8.417, na Rua Conde de Bonfim; 8.072, na Rua Haddock Lobo, todas na Tijuca; e 6.476, na Rua Dias da Cruz, no Méier, foram multadas em R$ 10 mil por demora no atendimento.

As agências do Bradesco 3.248, na Avenida Cesário de Melo, em Campo Grande; 3.463, na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca; e 2.790, na Avenida Ministro Edgar Romero, em Madureira, foram multadas em R$ 10 mil devido ao atraso. Já a agência 0.226, na Rua Pinto de Figueiredo, também na Tijuca, foi multada no mesmo valor por não exibir em locais visíveis a informação da localização dos bebedouros e banheiros. A agência 8.065 do Itaú, no Boulevard 28 de Setembro, em Vila Isabel, foi multada por não disponibilizar autenticação do horário de atendimento e informação sobre a Lei, como o tempo para espera, e escala de trabalho dos funcionários.

Falta de assentos

A agência 6.090 do Itaú, na Rua Silva Rabelo, no Méier, foi multada por exceder o tempo de espera na fila e número insuficiente de assentos prioritários. A agência 6.021 do Itaú, na Estrada do Tindiba, na Taquara, foi notificada por não disponibilizar o mínimo determinado de 15 assentos para uso preferencial e a escala dos funcionários em local visível. 

Cliente do Bradesco, a comerciante Fernanda Fernandes afirma que o problema é recorrente: “O banco que mais demora é o Bradesco, que leva em média 40 minutos para atender. Já aviso logo à dona da loja em que trabalho que vou demorar.” No Itaú, o porteiro Rodrigo Severino da Silva também encontra dificuldade: “Aproveito o horário do almoço para pagar minhas contas. Aqui, costuma passar o tempo de 15 minutos, algumas vezes chegando a 30 minutos.”

De acordo com a presidente do Procon Carioca, Márcia Mattos, a Operação “Chega de Fila” vai continuar. “Precisamos fazer valer a lei que regulamenta o atendimento nas agências bancárias que já tem sete anos de existência e, até hoje, é descumprida, com tempos de espera que costumam dobrar em relação ao tempo determinado pela legislação”, disse Márcia Mattos.

Em outras 13 agências visitadas pelo Procon - cinco do Bradesco e oito do Itaú - cumpriam o tempo de atendimento. Duas dessas agências do Bradesco estavam em Campo Grande, duas na Tijuca e a quinta na Estrada dos Bandeirantes, em Curicica. As agências do Itaú que estavam OK estão localizadas três na Tijuca, uma no Maracanã, uma na Cidade Nova, outra na Taquara (Jacarepaguá), uma no Meier e a 8ª em Copacabana.