Após acordo, Guardia diz que carga tributária será redistribuída

Em entrevista coletiva hoje (28), o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou que a carga tributária será redistribuída, e o governo promoverá um movimento compensatório na economia para compensar medidas firmadas no acordo com os caminhoneiros. 

A categoria está parada desde o dia 21. Entre os pontos negociados, estão a redução do preço diesel em R$ 0,46 nas bombas pelo prazo de 60 dias e a isenção da cobrança de pedágio dos caminhões que trafegarem com eixo suspenso.

"Ao invés de Cide e PIS-Cofins sobre o diesel, vamos tributar outras coisas que eu vou comunicar quando for divulgado", declarou Guardia a jornalistas.

O ministro afirmou que o assunto será discutido também com os representantes estaduais. "Sim, contamos com a colaboração dos estados", disse Guardia, referindo-se ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). 

O ministro afirmou ainda que os órgãos responsáveis pelo monitoramento e pela fiscalização utilizarão os instrumentos adequados em caso de abusos. Ele lembrou que o governo está fazendo "um brutal esforço" para que o país volte à normalidade.

>> Governo trabalha na edição de mais duas MPs, diz Guardia

>> Guardia: do ponto de vista fiscal, programa de subvenção não traz risco à meta

>> Guardia diz que em breve redução de preço do diesel chegará à bomba

Com Agência Brasil