Bolsas de NY voltam a fechar em baixa, afetadas por ações de tecnologia

Oscilando entre ganhos e perdas desde o início do pregão desta quarta-feira (28) os mercados acionários americanos encerraram a sessão no negativo, em um cenário de continuidade da pressão negativa contra as companhias de tecnologia em meio a relatos sobre uma possível ofensiva da Casa Branca contra a Amazon.

O índice Dow Jones terminou o dia em queda de 0,04%, aos 23 848,42 pontos; o S&P 500 perdeu 0,29%, aos 2.605,00 pontos; e o Nasdaq apresentou baixa de 0,85%, aos 6.949,23 pontos. Já o índice de volatilidade da CBOE (VIX), considerado o medidor de medo de Wall Street, encerrou o dia em alta de 1,64%, aos 22,87 pontos.

Um dia após desencadear uma pressão vendedora contra empresas de tecnologia em todo o globo, o Facebook informou que elaborou novas diretrizes para suas configurações de privacidade. A medida foi tomada em meio à polêmica sobre o uso indevido de dados de cerca de 50 milhões de usuários da companhia liderada por Mark Zuckerberg. Com essas notícias, a ação do Facebook fechou o dia em alta de 0,53%, a US$ 153,03. Apesar disso, outras techs não conseguiram reverter a maré baixista que teve início na terça-feira: a Apple perdeu 1,10%, a Netflix cedeu 4,96% e a Snap caiu 3,11%.

Relatos de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cogita mudar o tratamento tributário dado à Amazon, sob a alegação de que a empresa de Jeff Bezos estaria acabando com os shopping centers e casas de construção e prejudicando o serviço de correios, fez com que as ações da companhia despencassem 4,38%. A Casa Branca, no entanto, disse que não está considerando políticas para limitar a Amazon.

Para o analista Daniel Ives, da GBH Insights, os investidores não devem entrar em pânico por essa questão. "Acreditamos que a realidade dessas preocupações, o modelo de negócios da empresa e a estrutura tributária futura são características de baixo impacto", afirmou Ives em relatório. Ele lembra que Trump já havia criticado a Amazon antes no Twitter, fazendo com que os novos relatos não sejam surpreendentes.

Papéis de companhias de energia também apresentaram fortes perdas, acompanhando o movimento de queda dos preços do petróleo, que reagiram negativamente ao relatório semanal de estoques do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos EUA. A Chevron liderou as perdas, ao cair 2,23%, enquanto a ExxonMobil cedeu 1,21% e a ConocoPhillips recuou 0,69%.

Fonte: Estadão Conteúdo