Bolsas da Europa recuam com tarifas dos EUA à China e política monetária

As principais bolsas europeias fecharam em baixa forte nesta quinta-feira, 22, em meio a temores reforçados de uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, já que a Casa Branca anunciara desde mais cedo que o presidente Donald Trump assinaria hoje um pacote tarifário bilionário direcionado ao país asiático. Nem a notícia de que a Europa estará isenta da tarifação dos EUA sobre importação de aço e alumínio durante a negociação de um acordo comercial conseguiu tirar as ações da região do terreno negativo. Foi também o primeiro pregão europeu após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) elevar os juros básicos do país em 0,25 ponto porcentual.

Ainda na seara da política monetária, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) decidiu manter os juros básicos da economia britânica em 0,50%, conforme esperado por analistas.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou a sessão em queda de 1,55%, aos 369,15 pontos. Em meio ao noticiário monetário, o subíndice de bancos fechou com recuo de 2,54%.

Em Londres, o FTSE 100 registrou baixa de 1,23% no pregão de hoje, aos 6.952,59, abaixo da marca psicologicamente importante de 7.000,00 pontos. No setor bancário, as ações do Lloyds cederam 1,64% e as do Barclays caíram 2,10%. Já entre as altas, destacaram-se os papéis da companhia de produtos de limpeza Reckitt Benckiser (+4,78%), que informou ter concluído as negociações na área de saúde para consumidores da farmacêutica americana Pfizer.

O CAC 40, da bolsa de Paris, fechou hoje em queda de 1,38%, aos 5.167,21 pontos. A isenção temporária da Europa das tarifas dos EUA, contudo, levou as ações da siderúrgica ArcelorMittal a uma alta de 1,06%.

Na bolsa de Frankfurt, o DAX 30 encerrou o pregão com recuo de 1,70%, aos 12.100,08 pontos, em um dia com indicadores sobre a economia da Alemanha com resultados abaixo das expectativas de analistas. As ações dos bancos Commerzbank e Deutsche Bank tiveram as duas maiores baixas da sessão, de 6,17% e 2,98%, respectivamente.

Em Madri, o Ibex-35 registrou perda de 1,49%, aos 9.487,40 pontos, enquanto em Lisboa o PSI-20 fechou a sessão com queda de 1,05%, para os 5.373,16 pontos.

O principal índice da bolsa de Milão, FTSE MIB, encerrou em recuo de 1,85%, para 22.397,84 pontos. As ações dos bancos sofreram também nesta praça, como mostram as baixas das ações do Banca Carige (-2,41%), do Intesa Sanpaolo (-1,78%) e do Banco BPM (-1,95%).