Petróleo recua na espera de dados sobre estoques dos EUA

Os barris de petróleo negociados em Londres e Nova York nesta terça-feira (23) registram leve desvalorização, após momentos de leve alta, na expectativa da divulgação de dados sobre os estoques dos Estados Unidos pelo American Petroleum Institute (API) na noite desta terça, e dos dados oficiais do Departamento de Energia do país, no dia seguinte. A projeção dos analistas é de queda de 2,7 milhões de barris nos estoques de petróleo bruto. 

Às 11h08, o barril de Brent para julho negociado na International Exchange Futures (ICE), em Londres, tinha queda de 0,19%, a US$ 53,77. Já o barril de WTI para entrega em julho, negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova York, recuava 0,14%, a US$ 51,06.

Às 16h39, o barril de Brent tinha alta de 0,50%, a US$ 54,14. Às 16h41, o barril de WTI tinha alta de 0,65%, a US$ 51,46. 

A commodity chegou a patamar máximo em mais de um mês na véspera, na expectativa de que a extensão do acordo de corte da Opep seja confirmada na reunião do dia 25 de maio e gere resultados. No início da semana passada, Arábia Saudita e Rússia concordaram em aumentar o prazo em nove meses, até março de 2018.

Existe a possibilidade também da Opep aprofundar os cortes. Até agora, o acordo iniciado em janeiro teria tido um impacto modesto nos níveis de estoque global, devido a um aumento na produção de países que não participam do acordo, como a Líbia, e ao aumento incessante da produção de óleo de xisto nos EUA.

Os barris de petróleo, que custavam em torno dos US$ 100 até o final de 2014, chegaram abaixo de US$ 30 no ano passado, devido ao excesso de oferta global.