'Forbes': Brasil é "Slowpoke" da América Latina 

Noticiário norte-americano compara economia do país a um Pokémon lento e gigante 

Matéria publicada nesta terça-feira (18) pela Forbes analisa que  os anos consecutivos de recessão econômica, aliados à inflação de dois dígitos e às taxas de juros, atingiram as perspectivas de recuperação do país. 

O site de notícias norte-americano diz que além da recessão o Brasil ainda está atolado em um escândalo de corrupção envolvendo sua empresa mais importante, a estatal Petrobras.  O texto lembra que esse episódio levou ao impeachment de sua primeira presidente mulher, Dilma Rousseff, e agora seu sucessor Michel Temer tem uma baixíssima aprovação. Em 30 de março, uma pesquisa da Ipsos revelou que 90% dos brasileiros acreditam que o país está indo na direção errada. Aproximadamente 78% desaprovaram o trabalho do presidente.

Forbes afirma que com base em uma lista de economias latino-americanas vigiadas pela Barclays Capital, o Brasil é seguido pela Venezuela como a pior economia da região para o crescimento. O Brasil deverá crescer 0,5% em 2017, superando a contração de -1,9% da Venezuela, com base na avaliação da BarCap. A pesquisa mais recente do banco central dos economistas do Brasil agora tem PIB para o ano em 0.4%. Na semana passada, foi de 0,41%. Quatro semanas atrás, era de 0,48%. O Brasil está indo na direção errada.

Se tudo correr bem com relação a crise política e Temer não for demitido, pode acontecer a reforma da previdência, aí então a inflação está prevista para cair ainda mais. Barclays pensa que vai para 4% este trimestre, que é o mais baixo que tem sido em cerca de 10 anos. Se isso for verdade, então o banco central continuará com sua ação de corte de taxa. 

O fraco crescimento de 0,5% no Brasil supera em dois anos consecutivos mais de 3% de contração. Mas para uma economia desta magnitude, e com um invejável mercado de consumo, o Brasil está sendo superado pelo crescimento de 1,4% esperado na América Latina. Isso não significa que investidores corporativos ou gestores de fundos estrangeiros não vão comprar ativos brasileiros, aponta a Forbes. Os investidores compram o tempo todo e por uma variedade de razões. A lentidão do PIB tem mais impacto sobre a população local, enfrentando 12% de desemprego e perspectivas de salários em deterioração após quase uma década de mobilidade ascendente.

A taxa de crescimento trimestral do Brasil está em linha com as projeções médias da América Latina em 2,4% no segundo trimestre e 3,2% no terceiro trimestre, segundo estimativas do Barclays. Nesse sentido, o Brasil faz melhor que seus vizinhos Colômbia e Peru, assim como o México.

O Brasil deverá crescer 2% em 2018, mas está abaixo da média regional de 2,5%. Até mesmo a Venezuela deve crescer mais que o Brasil no próximo ano, tornando o Brasil a economia mais lenta das Américas em 2018, finaliza Forbes.

> > Forbes