FMI mantém projeção de crescimento do Brasil em 2017

No entanto, o fundo aumentou sua estimativa para 2018

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aumentou nesta terça-feira (18) sua estimativa de crescimento da economia do Brasil, que teve a pior recessão de sua história em 2016, com uma queda de 3,6%, mas apenas para o ano que vem.

A entidade manteve sua projeção de expansão de 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2017 e elevou a perspectiva referente a 2018 para 1,7%, número 0,2 ponto percentual maior que a estimativa anterior, divulgada em janeiro.

Para a economia italiana, o FMI prevê uma alta de 0,8% em 2017, número 0,1 ponto percentual maior que a projeção de janeiro. Em 2018, o crescimento de 0,8% deve se repetir, mantendo a última previsão da instituição.

"A condição da Itália continua definitivamente abaixo de seu potencial", diz o relatório da entidade. O governo italiano acredita em um crescimento de 1,1% em 2017, resultado que seria 0,3 ponto superior à estimativa do fundo monetário.

O FMI também prevê que o desemprego na península italiana cairá de 11,7% em 2016 para 11,4% neste ano e para 11% em 2018, mantendo-se na faixa de dois dígitos e acima da média europeia.