"Com alto desemprego, Brasil joga fora seu futuro", diz Delfim Netto

O ex-ministro da Fazenda Delfim Netto alerta, em artigo publicado nesta quarta-feira (5) na "Folha de S. Paulo", para a urgente necessidade de se investir na oferta de emprego, sobretudo para os mais jovens, para que o país possa voltar a trilhar o caminho do crescimento. Em "Com alto índice de desemprego, Brasil joga fora o seu futuro", Delfim Netto, afirma: "A juventude de 14 a 18 anos (faixa em que a taxa de desemprego é de 38%) e de 19 a 24 anos (faixa em que a taxa de desemprego é de 23%) está na rua protestando legitimamente. Merece o respeito e a atenção do novo governo, que lhe deve um urgente programa de capacitação que coopte o setor privado e seja capaz de devolver-lhe a esperança perdida."

O artigo começa destacando "a mais cruel notícia" da última semana, com os dados  do IBGE: "Foram consultadas 166 milhões de pessoas em idade de trabalhar. Delas, 64 milhões declararam-se fora do mercado: nem trabalham, nem procuraram emprego. Isso nos deixa com uma força de trabalho da ordem de 102 milhões: 90 milhões declararam que estavam empregados e 12 milhões afirmaram que procuraram emprego no período mas não tiveram sucesso — ou seja, estavam desempregadas por definição."

O texto diz ainda: "Mais preocupante ainda é a revelação de que, na faixa de 18 a 24 anos de idade, uma em cada quatro está desempregada!"

Delfim Netto destaca: "Não há tragédia mais dolorosa imposta a uma sociedade do que a de dissipar a sua maior riqueza, os seus cidadãos, roubando-lhes a oportunidade de se realizarem no exercício de uma atividade decente que lhes dê identidade e os qualifique entre os seus pares. E quando ela se concentra sobre a sua juventude, o país joga fora o seu futuro!"

>> Veja o artigo na íntegra