Bovespa fecha em queda puxada pela baixa das ações de siderurgia e mineração

Moeda americana também fecha em queda de olho no discurso de Janet Yellen

A Bovespa fechou em queda de 0,52%, aos 57.717 pontos, nesta quarta-feira (24), após passar dia instável. Isso porque as ações de empresas de siderurgia e mineração caíam forte, seguindo a tendência do mercado externo.

“Ontem e hoje o Ibovespa foi conduzido pelo animo dos investidores globais, pautados pelos acontecimentos do cenário internacional. Temos a expectativa acerca do discurso da Yellen, a repercussão dos dados do mercado imobiliário dos EUA, que demonstra um mercado forte e a divulgação do tradicional relatório da agência de administração de energia dos EUA”, disse Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating.

As ações preferenciais da Vale caía 3,16%, enquanto as líderes das baixas do índice, Usiminas e CSN, caíam mais de 7%. Segundo o economista, o minério de ferro caiu o preço por conta da saída de alguns mineradores da região de Guandu, na China, que é considerada “a nova bolsa de metais do mundo”: "Isso reforça o rumor do desaquecimento da economia chinesa.", disse Alex.

Da mesma forma, o petróleo caía forte após dados do American Petroleum Institute (API), divulgados no final da sessão da véspera, apontarem para uma inesperada alta de 4,5 milhões de barris nos estoques de crude dos Estados Unidos. Perto do fechamento, as ações preferenciais da Petrobras caíam 1,97%.

Às 11h02, a moeda dos EUA avançava 0,08%, a R$ 3,2364.

Já às 11h13, a moeda registrava baixa de 0,06%, a R$ 3,2319.

Às 13h28, a moeda caía 0,17%, a R$ 3,2282.

Às 15h38, o dólar caía 0,20%, a R$ 3,2272.

Às 16h49, o dólar caía 0,35%, a R$ 3,2225.

No cenário externo, o mercado espera o discurso de Janet Yellen, presidente do banco central dos EUA, previsto para a sexta-feira, onde investidores poderão ter pistas sobre quando os juros norte-americanos voltarão a subir.

Dólar cai 

O dólar fechou em queda de 0,26%, a R$ 3,2253 na venda, nesta quarta-feira (24) por conta da aprovação, no Congresso, do texto-base do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017.

Além disso, há expectativa acerca do discurso de Janet Yellen, presidente do Federal Reserve, na sexta-feira que pode mencionar a possibilidade do aumento de juros previsto para esse ano ainda.

No cenário interno, a audiência pública na comissão especial, com participação do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, movimentou o mercado. E investidores ficam de olho no apoio do Congresso às medidas de ajuste fiscal.

Às 11h02, a moeda dos EUA avançava 0,08%, a R$ 3,2364.

Já às 11h13, a moeda registrava baixa de 0,06%, a R$ 3,2319.

Às 13h28, a moeda caía 0,17%, a R$ 3,2282.

Às 15h38, o dólar caía 0,20%, a R$ 3,2272.

Às 16h49, o dólar caía 0,35%, a R$ 3,2225.

O Banco Central anunciou hoje mais um leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólares, com oferta de até 10 mil contratos.

O dólar fechou em alta na terça-feira (23), a moeda norte-americana subiu 1%, vendida a R$ 3,2335. Na semana, o dólar acumula queda de 0,49%. No mês de agosto, recua 0,61%. No ano, moeda perde 18,3%. 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais