Petróleo oscila nesta segunda-feira com conversas entre Arábia Saudita e Irã

Os preços de barris de petróleo negociados em Londres e em Nova Iorque nesta segunda-feira-feira (4) registravam baixa no início do dia, mas passaram a registar leve alta. A Arábia Saudita indicou, em entrevista, que congelaria a sua produção apenas se o Irã e demais produtores fizessem o mesmo. O Irã, contudo, já deu sinais de que não pretende conter sua produção até retomar os patamares vistos antes das sanções internacionais -- apesar de ter sinalizado que pode comparecer à reunião em Doha no dia 17 de abril, quando os países produtores devem chegar a um consenso sobre o assunto. 

Em março, a produção da Rússia -- que aceitou chegou a um acordo com a Arábia Saudita, que ainda precisa de aprovação -- teve um aumento de 2,1%, enquanto as exportações tiveram um acréscimo de 5,1% no mesmo período. 

Às 8h40, o barril de Brent registrava alta de 0,44%, a US$ 38,84, na International Exchange Futures (ICE), em Londres. No mesmo horário, o barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova Iorque, tinha acréscimo de 0,41%, a US$ 36,94.

Às 12h23, o Mar do Norte apresentava queda de 0,93%, a US$ 38,31. No horário, a produção do Texas estava cotada a US$ 36,63, com redução de 0,43%.

Às 14h14, os preços dos barris confirmavam a tendência de queda. O Brent recuava 1,50%, a US$ 38,09. A commodity de WTI registrava baixa de 1,71%, a US$ 36,16.

Na sexta-feira (1°), o barril de Brent para entrega em maio teve baixa de 2,29% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 38,69. Já o WTI caiu ainda mais, 4,04%, aos US$ 36,79, acumulando uma queda semanal de 6,77%.