Discussão diária sobre meta fiscal nos fragiliza, diz Braga sobre corte da Fitch

Para o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, o difícil cenário político do país "sem dúvidas" teve peso na perda do selo de bom pagador do Brasil pela Fitch nesta quarta-feira (16). "A questão econômica tem um peso, afinal os números falam por si, mas estarmos discutindo todos os dias e publicamente a meta fiscal de 2016 também nos fragiliza", afirmou.

De acordo com Braga, que é também senador licenciado pelo PMDB-AM, ainda há indefinições importantes na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e no Orçamento da União para o ano que vem. 

Na visão do ministro, o setor elétrico tem se distanciado da crise, mas não é possível dissociá-lo totalmente da conjuntura macroeconômica do país. Após citar relatórios do mercado financeiro que elogiam o leilão A-1 de contratação de energia na semana passada, Braga demonstrou preocupação sobre a atração de investidores para leilões de linha e transmissão com a perda do grau de investimento.

Por fim, o ministro destacou que o setor elétrico assumiu importante papel no ajuste fiscal em 2015. "Propiciamos uma economia total de mais de R$ 50 bilhões para o Tesouro Nacional", disse Braga.