El Cronista:  Alpargatas vende 20% da Topper na Argentina e 100% no Brasil

Matéria publicada no jornal El Cronista dia 4 de novembro, conta que o comprador é o grupo brasileiro Sforza, liderados pelo investidor Carlos Wizard Martins. A fabricante brasileira de calçados Alpargatas anunciou ontem a venda de suas marcas Topper e Rainha no Brasil e 20% da Topper na Argentina, para um grupo de investidores no Brasil para, por 48,7 milhões de reais (cerca de US $ 12 s 5 milhões), valor que inclui apenas a operação no país vizinho. O acordo prevê que o grupo Sforza, liderado pelo investidor Carlos Wizard Martins, venda 100% dos negócios da marca Topper no Brasil e Rainha no Brasil e no mundo, como relatou a Alpargatas a Bolsa de Valores de São Paulo.

A reportagem diz que o fabricante também irá criar uma nova empresa na Argentina, a NewCo Argentina, que agrupará todas as empresas da marca Topper no mundo, com exceção do Brasil, Estados Unidos e China, e vai entregar 20% ao comprador brasileiro por um valor adicional. O acordo também fornece ao grupo Sforza uma licença para operar a marca Topper na China e os EUA por um período de 15 anos, informou a agência de notícias EFE. Além dos 48,7 milhões de reais no Brasil, o comprador concordou em pagar um valor adicional a ser calculado sobre os resultados operacionais da Topper na Argentina este ano, com base nos 20% da nova empresa, bem como royalties pelo uso das marcas nos EUA e China. De acordo com o comunicado, a Topper é líder de mercado nos sapatos esportivos na Argentina e no Brasil, enquanto a Rainha foi nos últimos 10 anos, uma das marcas mais vendidas no país.

O grupo brasileiro com vendas anuais de 3.900 bilhões de reais, tem fábricas no Brasil e Argentina, 688 no mundo inteiro e exporta para 107 países. O Grupo Camargo Correa, que controla a Alpargatas, confirmou no mês passado que estava considerando vender parte de sua participação na fabricante de sapatos e outros ativos já vendidos desde que começou a enfrentar dificuldades pelo escândalo de corrupção da Petrobras. O negócio não prevê a venda de fábricas ou linhas de produção e distribuição, mas se comprometeram a continuar produzindo Topper e Rainha, as  marcas de calçados no Brasil pelos os próximos dois anos sob a gestão  do novo proprietário.