Petróleos operam em alta nesta terça-feira

O barril de petróleo Brent para entrega em novembro opera em alta nesta terça-feira (13) no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres. 

Às 5h03, o Brent estava cotado a US$ 50,92, avanço de 1,33% frente ao fechamento da segunda-feira (12), quando fechou a US$ 50,25, em forte queda de 5,30%. 

No mesmo horário o WTI, do Texas, subia 1,42%, negociado a US$ 47,76. Na segunda-feira, o WTI também fechou em forte queda de 5,10%, cotado a US$ 47,10.

Às 10h38, o Brent subia 0,19%, cotado a US$ 50,33, e o WTI avançava 0,28%, a US$ 47,23.

Às 13h21, o petróleo do Mar do Norte tinha valorização de 0,57%, cotado a US$ 50,53. O WTI, por sua vez, subia 1,38%, a US$ 47,75.

A queda foi provocada pela divulgação do relatório do grupo financeiro Goldman Sachs, com a informação de que o petróleo poderá cair a níveis de custo de produção se o excesso de oferta atual se estender além da capacidade logística e de armazenamento disponível.

"Os fundamentos do mercado ainda são terríveis", disse à Bloomberg o diretor do Energy Analytics Group LLC, Tom Finlon. "Ainda há petróleo demais em estoques e estamos bombeando mais de 9 milhões de barris por dia".

Antes da divulgação do relatório, a commodity operava em alta após a declaração do ministro do Petróleo do Kuwait, Ali al-Omair, que afirmou que o crescimento econômico e a saída de produtores com altos custos podem elevar o patamar dos preços de combustíveis. A divulgação do relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) diminuiu as previsões para a produção de petróleo em 2016 em 60 mil barris por dia.

Por Denise de Almeida