Petróleo fecha estável na sexta-feira

Tanto Brent quanto WTI acumularam alta de 9% na semana

O preço do petróleo fechou com pequenas variações nesta sexta-feira (9), com investidores hesitando entre o excesso global de oferta e a diminuição da contagem de poços e plataformas nos EUA.

Na International Exchange (ICE) de Londres, os futuros de Brent para novembro caíram US$0,40 (0,8%), negociados a US$52,65 o barril.

Já os futuros do Intermediário do Texas (WTI) aumentaram US$0,20 (0,4%), cotados a US$ 49,63 no encerramento da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Apesar da retração do Brent, as duas principais referências do mercado terminaram esta semana com ganhos de 9%, maior resultado nas últimas seis semanas.

Na semana que termina hoje, as empresas de exploração removeram nove poços nos EUA, diminuindo a contagem para 605 poços e plataformas, de acordo com dados da companhia de serviços do setor petrolífero Baker Hughes divulgados nesta sexta-feira. No ano passado, produtores operavam com 1.609 poços e plataformas no país.

"O mercado está dando uma pausa. Depois de subir a quase US$51, se ele cai no fechamento seguinte, é um pouco negativo e os preços podem ficar mais baixos na próxima semana", afirmou à Reuters o analista da IAF Advisors Kyle Cooper.

Na quinta-feira (8), o Brent  fechou em alta de 3,28%, negociado a US$53,05 o barril e o WTI aumentou 3,38%, cotados a US$ 49,43. Foi o patamar mais alto em três meses, com preços impulsionados pelas previsões de que o barril vai se valorizar até US$75 nos próximos dois anos. Também empurrou a alta o mercado acionário da China e as operações militares da Rússia na Síria, que gera riscos para a produção da commodity na região.

A consultora PIRA Energy Group, que previu o colapso dos preços no ano passado, afirmou que o petróleo deve chegar a US$70 por barril ao final de 2016 e US$75 em 2017.

por Pedro Leite