Desemprego na zona do euro tem leve recuo em relação ao ano anterior

O desemprego na zona do euro registrou queda de 0,5 ponto percentual em junho na comparação com o mesmo período do ano passado. A taxa de 11,1%, no entanto, permaneceu estável na comparação com maio. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (31), pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat).

A taxa é referente aos 19 países que utilizam o euro. Para toda a União Europeia (UE), no entanto, que compreende 28 países, o valor foi menor para o mês, de 9,6%. Esta taxa também permaneceu estável em relação a maio, mas teve retração na comparação com o mesmo mês de 2014, quando atingiu a marca de 10,2%. 

A Grécia é o país com o maior desemprego da União Europeia, apresentando índice de 25,6%, seguida de Espanha (22,5%), Chipre (16,2%), Croácia (15,3%) e Itália (12,7%). Os países da UE com menos desemprego são Alemanha e República Checa, com taxas de 4,7% e 4,9%, respetivamente.

O desemprego entre os jovens atingia em junho 20,7% da população ativa com menos de 25 anos na UE e 22,5% na zona euro, abaixo dos valores de há um ano, de 22,1% e 23,6%, respetivamente.

Os países com mais desempregados entre os jovens continuam a ser Grécia (53,2% em abril de 2015) e Espanha (49,2%), mas também Itália (44,2%) e Croácia (43,1% no segundo trimestre). Do outro lado, o desemprego jovem é menos significativo na Alemanha (7,1%), Malta (10%) e Estónia (10,1% em maio) e Dinamarca e Áustria (10,3% cada um).