Tsipras diz que credores fazem 'chantagem' com a Grécia

Fontes próximas às negociações dizem que há chance de acordo

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, voltou a aumentar o tom nesta sexta-feira (26) após as negociações com os credores nos últimos dois dias terem falhado e disse que eles estão "chantageando" o país.

"A União Europeia foi fundada nos princípios da democracia, solidariedade, igualdade e respeito mútuo. Não foi baseada em chantagens e ultimatos. Ninguém tem o direito de colocar em perigo esses princípios", disse o premier segundo o jornal "The Guardian".

Porém, apesar do clima tenso, fontes ouvidas pela publicação dizem que os detalhes para fechar um novo acordo no final de semana são "mínimos". De acordo com os negociadores, até o próximo domingo (28), será anunciada uma extensão de cinco meses do empréstimo.

As divergências sobre as reformas estariam quase concluídas e estariam focadas nos gastos governamentais para a defesa. Os credores querem um corte de 400 milhões de euros no orçamento da pasta, enquanto o governo quer cortar 200 milhões de euros. A fonte teria dito ao jornal que é "ridículo" não fechar a nova negociação por causa disso.

Em entrevista coletiva, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que há "três dias para encerrar os debates" e que o acordo "está próxima".

    Amanhã (27), haverá uma nova reunião do eurogrupo com a Grécia para tentar fechar a tensa rodada de negociações, que se estende pelos últimos meses. O país tem até a próxima terça-feira (30) para pagar as parcelas do mês de junho do empréstimo contraído com o Fundo Monetário Internacional (FMI), em um valor total de 1,6 bilhão de euros. (ANSA)