Gerdau suspende contratos de trabalho em usinas do Sul e ações lideram perdas na bolsa

A Gerdau irá suspender contratos de trabalho de 100 funcionários da usina de aços especiais da cidade gaúcha de Charqueadas, a 60 quilômetros de Porto Alegre, por cinco meses, a partir do dia 13 de julho. "Essa decisão foi tomada frente à necessidade de ajustar a produção da usina de Charqueadas à baixa demanda de mercado, principalmente da indústria automotiva no Brasil, seu principal consumidor de aços especiais", informou a companhia, em nota. No pregão desta terça-feira (24), as ações preferenciais da Gerdau (GGBR4) lideram as perdas na Bovespa. 

Os papéis da empresa têm queda de 2,41%, cotados a R$ 7,71 por volta das 14h52 horas. De acordo com a empresa, o objetivo da medida é preservar os empregos existentes. A Gerdau negou qualquer intenção de fechamento da usina em Charqueadas e a suspensão dos contratos de trabalho foi aprovada em assembleia junto ao sindicato local. 

A usina possui 900 funcionários, segundo o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Charqueadas. Desde a última segunda-feira (22), a empresa também deu férias coletivas de dez dias para outros 200 funcionários de outra unidade, localizada na cidade de Sapucaia do Sul (RS), a 26 quilômetros de Porto Alegre.