Banco JP Morgan, dos EUA, sofre novo ataque de hackers

Invasores conseguiram informações de 76 milhões de pessoas

Pela segunda vez em três meses, o banco JP Morgan Chase, o maior banco norte-americano, teria sido atacado por um hacker. Segundo o jornal The New York Times, o autor do crime digital teria ligação com a Itália ou outro país do sul da Europa.

    Apesar de um porta-voz do banco ter desmentido o ataque, o próprio JP Morgan admitiu que "piratas digitais" teriam, recentemente, violado o servidor do grupo e ter acesso a informações de 76 milhões de domicílios e sete milhões de pequenas empresas. Na prática, houve roubo de nomes, endereços, números de telefone e e-mails de clientes.

    Teriam sido violadas também informações reservadas destes clientes. Mas o grupo afirmou que estes vazamentos não seriam tão perigosos, já que dados como senhas e números de documentos não teriam sido acessados pelos hackers. O banco afirmou que não vê necessidade na troca de senhas e outras informações, por patê dos clientes.

    Segundo fontes, o JPMorgan investiga para apurar o ataque. Em julho houve outro caso de invasão digital ao grupo. Isso demonstra o desafio dos bancos norte-americanos de enfrentar os hackers e criarem sistemas digitais mais seguros contras estas ameaças.

    Nos últimos anos, diversas invasões digitais ocorreram em instituições financeiras dos Estados Unidos. Muitos destes casos ainda são investigados pela Agência Federal de Investigação (FBI). (ANSA)