Obama diz que paralisação federal é 'injusta'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta terça-feira (1) que a paralisação federal "é injusta". Em uma carta publicada no site do Departamento de Energia e dirigida aos funcionários do governo, Obama afirmou que a paralisação era "completamente evitável" e "não deveria nunca ter acontecido". Segundo Obama, o Congresso pode colocar "um fim rapidamente a isso". Elogiando o trabalho dos funcionários, o mandatário disse que eles "fazem tudo isso em um clima político que, muitas vezes nos últimos anos, tem os tratado como um saco de pancadas". 

Obama também citou uma frase do ex-presidente George W. Bush de que "não há nada mais gratificante do que servir ao próprio país e seus cidadãos, e fazê-lo bem. Continuarei fazendo tudo que está ao meu poder", destacou. 

>> Paralisação do governo dos EUA pode afetar economia mundial, diz Cameron

>> Paralisação das agências federais norte-americanas não ocorria há 17 anos

>> Senado norte-americano volta a rejeitar plano da Câmara dos Representantes

A falta de acordo entre republicanos e democratas levou os Estados Unidos -- pela primeira vez em 17 anos -- a uma paralisação parcial do governo federal, problema que será mantido até que o Congresso aprove novos fundos. A paralisação obrigará o governo a mandar para casa mais de 800 mil pessoas durante o período em que ocorrer a escassez de fundos e que poderá custar mais de US$ 1 bilhão aos cofres públicos. A emissão de dados econômicos será interrompida, os parques nacionais ficarão fechados, embora sejam mantidos serviços básicos como correio, controle de tráfego aéreo, emissão de cheques de pensões e a atividade de agentes policiais e de segurança.

    Nesta terça-feira, a agência espacial norte-americana (NASA), que completa 55 anos, amanheceu paralisada, com 97% dos seus funcionários sem salários. Os únicos que continuarão recebendo pagamentos são os que atuam em satélites de segurança e astronautas em órbita. (ANSA)