Oscilações do dólar não terminaram, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje (30) que as oscilações no valor do dólar observadas nos últimos meses podem ter se “acalmado”, mas não terminaram. De acordo com ele, o Banco Central (BC) tem agido corretamente, e manteve a capacidade de impedir uma alta excessiva da moeda norte-americana.

“Não podemos achar que as oscilações terminaram. Pode ser que tenha se acalmado, mas nada garante que amanhã não haja nova flutuação. Amanhã, um membro do Fed [ Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos] faz uma declaração infeliz e sobe de novo [o valor do dólar]. Então, o Banco Central tem de estar lá, atento, fazendo a política correta”, destacou Mantega, em entrevista coletiva após participar de um  fórum sobre a produtividade promovido pela revista Exame.

“O Banco Central  disse que tem US$ 60 bilhões que pode colocar no mercado de dólar, e isso ajudou a baixar o câmbio, que tinha chegado a R$ 2,45. É claro que, à medida que o Fed deixa um pouco mais clara a sua política, que vai demorar mais para se desfazer dos estímulos, a pressão sobre o dólar cairá. Cabe ao BC ajustar esse programa. Mas ele continuará tendo essa arma na mão”, disse ele.

Hoje, o boletim Focus do Banco Central reduziu a previsão do valor da moeda americana que deverá fechar o ano. De acordo com o levantamento, o dólar deverá chegar em dezembro custando R$ 2,30.