Fed mantém inalterada a política de estímulo à economia dos EUA

Banco também cortou a projeção para a inflação e reduziu a previsão de crescimento

O Federal Reserve (Fed, banco central) manteve seu programa de estímulo à economia norte-americana sem alterações, nesta quarta-feira, e não deu pistas sobre quando poderá começar a reduzir a compra de títulos de U$ 85 bilhões mensais.

O comitê de política monetária do Fed, Federal Open Market Committee (Fomc), disse que a economia continua crescendo a ritmo moderado e que os riscos de deterioração diminuíram, mas acrescentou que os cortes de gastos do governo estão "restringindo o crescimento econômico".

O banco também cortou a projeção para a inflação, sugerindo que não vê ameaça aos preços por seu atual programa de injeção monetária. Segundo o Fed, a inflação, no médio prazo, deve ficar próximo ou abaixo da meta de 2%.

O órgão também reduziu levemente sua previsão de crescimento da economia norte-americana este ano, mas disse que o desemprego cairia mais rapidamente que o previsto em março, a 7,2% no final do ano.

Um pouco antes do anúncio do Fed as bolsas da Europa encerraram o pregão em leve queda. Em Londres, o índice Financial Times caiu 0,40%, a 6.348 pontos. Em  Frankfurt, o índice DAX recuou 0,39%, para 8.197 pontos. Em Paris, o índice  CAC-40 perdeu 0,55%, a 3.839 pontos.

Em Milão, o índice Ftse/Mib teve queda de 0,94%, para 16.045 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 cedeu 1%, a 8.098 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20  desvalorizou-se 0,63%, para 5.845 pontos.