Vendas de tablets crescem 171% em 2012 puxadas pela classe C

O Brasil registrou vendas de 3,1 milhões de tablets em 2012, o que equivale a 171% de aumento em relação ao ano anterior. Segundo a consultoria IDC, citada pelo Estado de S. Paulo, quase um terço do total (1,1 milhões) chegou ao consumidor no quarto trimestre, quantidade equivalente ao total de 2011 inteiro. Metade dos tablets comercializados em 2012 tinha valor inferior US$ 500, fator que teria sido predominante no aumento das vendas. As empresas contribuíram com 12% do total, somando 303% de alta em reação ao no anterior, enquanto o consumidor doméstico teve crescimento de 159%.

Os brasileiros não estariam tão interessados em conectividade 3G e 4G, revela o estudo, que aponta que 67% dos tablets vendidos no ano passado só tinham conexão Wi-Fi. "É o preço que estimula esse cenário", explica Pedro Hagge, analista de mercado da consultoria, ao Estado de S. Paulo

O jornal computa, com dados do app Jiwire, que o Brasil tem 4,2 mil pontos de acesso WiFi - na Coreia do Sul, são 186 mil, e nos Estados Unidos, 182 mil. No Brasil, a marca mais vendida a DL, com 800 mil unidades, de acordo com o diretor de marketing Ricardo Malta, e a expectativa é chegar a 1,5 milhão neste ano. A previsão da IDC é que o mercado cresça 89,5%, chegando a um total de 5,8 milhões, em grande parte por causa da classe C, que segundo a consultoria foi o público que mais comprou tablets no ano passado. O País tem cerca de 20 modelos no mercado, dos 130 vendidos no mundo.