Chipre e Eurogrupo chegam a acordo de resgate econômico

O Chipre ganhou a aprovação da União Europeia para um plano de resgate que visa evitar o colapso econômico. O acordo foi fechado nas primeiras horas desta segunda-feira, após dias de negociações e a rejeição do plano A, proposto pela comunidade europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que visava taxar todos os depósitos bancários locais, de qualquer valor. As informações são da CNN.

Será concedido um resgate de 10 bilhões de euros ao pequeno país mediterrâneo, que tinha ameaçada a permanência na zona do euro pela quebra de seus principais bancos.

Pelas novas medidas, o maior banco do país, o Banco do Chipre, será salvo, mas depósitos acima de 100 mil euros sofrerão perdas de até 40%. A segunda maior instituição, o Banco Laiki, deve ser fechado, mas apenas os correntistas com mais de 100 mil euros em conta sofrerão perdas.

Após a reunião, o presidente do Chipre, Nicos Anastasiades, afirmou que o acordo é "definitivo" e o melhor para os "interesses do Chipre e de toda a União Europeia".

Jeroen Dijsselboem, premiê holandês e chefe do Eurogrupo, que dirigiu a reunião, em Bruxelas, disse que o plano teve aprovação de todos os membros da eurozona. O pequeno país representa 0,2% da economia do grupo.