Brasil manterá estabilidade econômica, afirma Dilma

Ao lado do governador de PE, Eduardo Campos, presidente defendeu a coalizão de forças políticas

O Brasil seguirá na trajetória de estabilidade econômica e controle da inflação, com crescimento econômico, afirmou a presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira.

Ao lado do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), Dilma defendeu ainda a necessidade de uma coalizão de forças políticas para governar um país "da complexidade" do Brasil.

As declarações foram dadas durante cerimônia de inauguração de obras de combate à seca na cidade pernambucana de Serra Talhada.

“Companheiro e amigo de grandes jornadas”, foi como o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, se definiu em relação a Dilma Roussef, na visita feita pela presidente. Possíveis adversários na campanha à presidência da República em 2014, os dois políticos discursaram e Campos disse estar recebendo Dilma com  “a mesma atenção de sempre”. A presidente foi inaugurar a primeira etapa da adutora do Pajeú, com 118 km que abastecerão as cidades sertanejas de Calumbi, Serra Talhada, Carnaíba, Flores, Afogados da Ingazeira e o distrito de Canaã, em Triunfo.

Ainda faltam 79 km para esta fase da obra ser concluída, o que está previsto para acontecer no segundo semestre deste ano. Com investimento de R$ 547 milhões, a adutora terá um total de 598 km e, quando estiver 100% pronta, vai captar água do Rio São Francisco e atenderá 400 mil pessoas em 21 municípios pernambucanos e oito paraibanos. 

A presidente teria outros compromissos em Pernambuco, que incluíam um almoço com Eduardo Campos, mas teve de cancelá-los para comparecer a uma missa em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, em memória dos mortos pelos últimos temporais que atingiram a cidade.