Barack Obama autoriza cortes de US$ 85 bilhões no orçamento dos EUA

Na noite de sexta-feira (1), o presidente dos EUA, Barack Obama, determinou um corte de US$ 85 bilhões no orçamento federal. A medida poderá retardar a recuperação da economia americana e afetar o nível de emprego no país.

Diante do fracasso nos esforços para se obter um acordo suprapartidário sobre a redução do déficit fiscal, o presidente cumpriu com a obrigação legal de reduzir os gastos domésticos e de defesa. Ele ainda responsabilizou os rivais republicanos pela entrada em vigor dos cortes compulsórios no orçamento.

O corte prevê uma redução de 8% no orçamento da Defesa e de 5% em outros setores da administração federal. Esta redução provocará a interrupção dos serviços públicos, tendo em conta a necessidade de se adotar licenças sem pagamento para milhares de funcionários.

Antes de autorizar o corte, Obama se referiu à medida como  "estúpida", sob a justificativa  que provocará desemprego e terá um impacto negativo sobre a economia americana.

 "Diante da ausência de uma decisão do presidente (republicano) da Câmara de Representantes, John Boehner, e de outros legisladores para colocar os interesses das famílias de classe média acima dos interesses políticos, os cortes entrarão em vigor", lamentou Obama.