Bolsas europeias encerram em baixa 

As bolsas europeias encerraram em baixa, com clima de apreensão dos mercados com a reunião de política monetária dos bancos centrais da Europa e Estados Unidos. As expectativas são boas, mas nenhuma medida econômica é garantida. Com isso, em Londres, o índice FTSE 100 fechou com perdas de 1,02%, aos 5.635 pontos, o DAX, em Frankfurt, teve queda de 0,03%, aos 6.772 pontos; e em Paris, o índice CAC-40 desvalorizou 0,87%, aos 3.291 pontos.

A agenda econômica veio com indicadores importantes, mas diante do cenário de expectativas em relação a medidas econômicas que podem ser tomadas pelo Banco Central, os dados econômicos ficam em segundo plano.

Foi divulgado que o índice de desemprego bateu recorde na Itália em junho, atingindo 10,8%, o nível é o maior desde 2004, quando o índice começou a ser calculado, segundo o Instituto de Estatísticas (Istat). Em maio o índice foi de 10,6%. O desemprego entre os jovens, no entanto, caiu de 35,3% em maio a 34,3% em junho.

Na Alemanha, a taxa de desemprego, que estava em queda há vários meses, subiu de 6,6% em junho a 6,8% em julho, anunciou a Agência Federal para o Emprego. O mercado de trabalho alemão mostrou em julho "sinais de uma evolução mais frágil", segundo um comunicado da agência.

Já a inflação na Eurozona permaneceu estável em julho, a 2,4% em ritmo anual, informou a agência de estatísticas europeia (Eurostat).

Entre as notícias econômicas, o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), o fundo de resgate da Eurozona, captou nesta terça-feira € 1,484 bilhão em obrigações a três anos com uma taxa de juros em baixa recorde de 0,54%.