Papademos: sem acordo sobre dívida, Grécia se expõe ao 'caos'

A Grécia corre o risco de cair em um verdadeiro caos e enfrenta um momento histórico de responsabilidade, disse nesta sexta-feira o primeiro-ministro Lucas Papademos, ao pedir o voto positivo do Parlamento para o novo plano de austeridade no domingo.

"Um default desordenado levaria nosso país a uma aventura desastrosa", disse Papademos após a renúncia de cinco membros de seu gabinete.

Segundo ele, esse cenário criaria as condições para um caos econômico descontrolado e para uma explosão social".

Papademos solicitou o apoio ao plano de cortes para que a UE e o FMI desbloqueiem o segundo lote de resgate da Grécia e para que o país evite assim uma quebra em março.

O primeiro-ministro revelou que o governo espera arrecadar 19 bilhões de euros até 2015 com o programa de privatizações incluído em um pacote de rigor anterior, e não 50 bilhões como se previa no princípio.

Segundo Papademos, a economia do país voltará a crescer em 2013, após cinco anos em recessão.

"Sou plenamente consciente de que a decisão é muito dolorosa, mas a quebra da Grécia não é uma opção que possamos permitir", disse.