Governo aumenta limite de endividamento de 10 estados

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quinta-feira a elevação do teto de endividamento de 10 Estados brasileiros. Pela decisão do governo federal, os Estados poderão contrair juntos até R$ 15,7 bilhões em crédito fiscal. O novo limite servirá para os entes federados aplicarem em obras de infraestrutura como saneamento ambiental, mobilidade urbana, agroindústria, entre outras áreas.

Os Estados beneficiados com a medida são Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rondônia e Sergipe.

O montante de recursos poderá ser adquirido por meio de empréstimos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Caixa Econômica Federal, Banco Mundial, entre outros. O dinheiro deverá ser usado para investimento.

Segundo o ministro Mantega, ao ajudar os Estados a manterem seu nível de investimentos, o Brasil poderá manter sua taxa de crescimento e ajudar a enfrentar a crise econômica mundial.

"Estados brasileiros estão com governo federal na jornada de elevar investimentos do País. Vamos manter a taxa de crescimento.", disse o ministro. "É importante que o Brasil não deixe a peteca cair. É importante que o Brasil continue investindo", acrescentou.

Mantega informou que não é a primeira vez que a União permite a elevação da capacidade de endividamento dos estados. O ministro disse que haverá anúncios para outros estados. "Nos próximos anúncios também faremos anúncios da mesma magnitude ou mais", disse.