Economia para pagamento de juros da dívida aumenta para R$ 5,375 bi 

O Governo Central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social) registrou, em setembro, superávit primário de R$ 5,375 bilhões. A economia feita para o pagamento de juros da dívida pública superou em R$ 2,908 bilhões o resultado de agosto (R$ 2,467 bilhões). O Tesouro Nacional contribuiu com R$ 14,794 bilhões para superávit, enquanto a Previdência Social apresentou déficit de R$ 9,350 bilhões. O Banco Central também registrou resultado negativo, de R$ 68,2 milhões.

No acumulado de janeiro a setembro, o Governo Central acumula superávit primário de R$ 75,198 bilhões, o equivalente a 2,51% do Produto Interno Bruto (PIB), ante os R$ 55,699 bilhões ou 2,08% do PIB registrados em mesmo período ao ano passado.

De acordo com o Tesouro Nacional, houve elevação entre janeiro e setembro de R$ 23,1 bilhões (23,2%) nas transferências a estados e municípios. As despesas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) tiveram um crescimento de R$ 3,7 bilhões (25,9%) na mesma comparação.

O Tesouro Nacional informou também que o déficit da Previdência Social foi reduzido em R$ 4,9 bilhões (12,3%) entre janeiro e setembro, representado 1,17% do PIB. No ano passado, no mesmo período, o déficit da Previdência representava 1,48% do PIB.