Piñera vende seu canal de televisão ao gigante Time Warner

SÃO PAULO, 23 de setembro de 2010 - O grupo americano Turner Broadcasting System (TBS), uma divisão da companhia Time Warner, anunciou nesta quarta-feira a compra do canal privado de televisão Chilevisión - propriedade do presidente Sebastián Piñera, que, com esta venda, cumpre promessa de campanha.

"Turner Broadcasting System (TBS) chegou a um acordo para a compra da Chilevisión, o canal de televisão aberto mais rentável do Chile e um dos líderes em audiência e em classificação da indústria", anunciou o grupo americano através de um comunicado à imprensa.

"Com esta aquisição, nossa companhia entrará no mercado de televisão aberta como um competidor proeminente, o que fortalece nossa posição de liderança na América Latina, e expande o portfólio de canais e negócios internacionais do grupo Turner em todo o mundo", disse Louise Sams, presidente do TBS International, citada na nota.

O texto não assinala o montante da transação, mas a imprensa local adianta que a venda ficaria entre US$ 140 milhões e US$ 150 milhões.

A operação será submetida à aprovação dos organismos regulatórios chilenos.

Chilevisión era um dos últimos investimentos em mãos do presidente Piñera, um empresário bilionário que, durante a campanha eleitoral que o levou à presidência do Chile, prometeu desprender-se de grande parte de seus ativos.

"O presidente da República disse em determinado momento que venderia o canal Chilevisión e cumpriu o compromisso assumido", comentou nesta quarta-feira a porta-voz do Executivo, Ena von Baer.

No ano passado, em plena campanha eleitoral, o presidente repassou a quatro administradoras de fundos US$ 400 milhões em ações de diferentes empresas em fideicomisso cego - mecanismo que permite a uma pessoa investida de um alto cargo público ceder a administração de seu patrimônio a uma outra independente. Tecnicamente garantiria a Piñera a preservação de seu patrimônio no momento de assumir o poder, ficando, no entanto, ilegalmente impedido de administrá-lo.

Pouco antes da posse, em março passado, vendeu suas ações na companhia aérea Lan Chile, por US$ 1,5 bilhão.

Em suas mãos fica, apenas, um pacote acionário do clube de futebol Colo Colo, o mais popular do país, do qual disse que tentaria não abrir mão.

A venda da Chilevisión havia sido exigida pela oposição e seus próprios aliados políticos de direita, ao considerar que existia um conflito de interesse com seu cargo de presidente, no qual deve aprovar várias regulações relacionadas à televisão aberta.

No Congresso estão pendentes definições relacionadas à implementação da TV Digital, cuja tramitação foi condicionada pela oposição à venda por parte do presidente de seu canal de televisão.

Piñera comprou a Chilevisión em 2004 por US$ 24 milhões, em meio a uma crise de baixa audiência.

Seis anos mais tarde, o canal é líder em sintonia e o que mais gera recursos. Desde o começo do ano, registrou lucros de US$ 10,2 milhões de dólares, 67% a mais do que no mesmo período do ano passado, segundo cifras da imprensa local.

Piñera, com fortuna avaliada em cerca de US$ 2,2 bilhões de acordo com a Revista Forbes, assumiu o poder em 11 de março passado.

O grupo TBS é dono da CNN Internacional, dos canais TNT, TCM e do de desenhos animados Cartoon Network, entre outros.

(Redação com AFP - Agência IN)