Mudanças climáticas vão diminuir o PIB brasileiro

SÃO PAULO, 23 de setembro de 2010 - Estima-se que sem mudança do clima o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro será de R$ 15,3 trilhões (de 2008) no cenário A2-BR em 2050, e R$ 16 trilhões no cenário B2-BR. Com o impacto da mudança do clima, esses PIBs reduzem-se em 0,5% e 2,3%, respectivamente, aponta o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Os cenários então gerados para a economia brasileira são aqui chamados de cenários A2-BR (simulados sem mudança do clima e com mudança do clima segundo cenário climático A2 do IPCC, e cenário B2-BR, também simulado sem mudança do clima e com mudança do clima segundo o cenário climático B2 do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas -IPCC, na sigla em inglês).

Antecipados para valor presente com uma taxa de desconto de 1% (a.a.), estas perdas ficariam entre R$ 719 bilhões e R$ 3,6 trilhões, o que equivaleria a jogar fora pelo menos um ano inteiro de crescimento nos próximos 40 anos.

Com ou sem mudança do clima, o PIB é sempre maior em B2-BR do que em A2-BR. Isto quer dizer que, na trajetória mais limpa do cenário B2-BR, a economia cresce mais, e não menos. Em ambos os cenários, a pobreza aumenta devido à mudança do clima, mas de forma quase desprezível.

Haveria uma perda média anual para o cidadão brasileiro em 2050 entre R$ 534 (ou US$ 291) e R$ 1.603 (ou US$ 874). O valor presente em 2008 das reduções no consumo dos brasileiros acumuladas até 2050 ficaria entre R$ 6 mil e R$ 18 mil, representando de 60% a 180% do consumo anual per capita atual.

(Redação - Agência IN)