14 dos 24 produtos possuem variação positiva, diz IBGE

SÃO PAULO, 8 de junho de 2010 - Segundo a quinta estimativa do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em maio, dentre os 24 produtos selecionados, 14 apresentam variação positiva frente ao ano passado: algodão herbáceo em caroço (+5,3%), aveia em grão (+36,5%), batata-inglesa 1ª safra (+2,1%), batata-inglesa 2ª safra (+13,2%), café em grão (+12,9%), cevada em grão (+25,0%), feijão em grão 3ª safra (+2,8%), laranja (+3,3%), mamona em baga (+21,7%), mandioca (+2,2%), milho em grão 2ª safra (+14,2%), soja em grão (+19,6%), trigo em grão (+3,8%) e triticale em grão (+8,2%).

Já os com variação negativa são: amendoim em casca 1ª safra (-7,3%), amendoim em casca 2ª safra (-12,8%), arroz em casca (-10,8%), batata-inglesa 3ª safra (-7,6%), cacau em amêndoa (-1,6%), cebola (-2,8%), feijão em grão 1ª safra (-2,1%), feijão em grão 2ª safra (-11,8%), milho em grão 1ª safra (-1,5%) e sorgo em grão (-8,6%).

Para o algodão herbáceo, a produção é estimada em 3,1 milhões de toneladas, com decréscimo de 1,2% frente ao LSPA de abril. Foram reavaliados os rendimentos dos dois maiores centros produtores, Mato Grosso (49,2% da produção nacional) e Bahia (32,9%).

A produção esperada de arroz é de 11,2 milhões de toneladas, 1,2% aquém da registrada em abril. Apresentaram redução de produção estados como Maranhão (-8,4%), Piauí (-28,1%), Ceará (-21,7%) e Bahia (-29,8%), reflexo da estiagem na safra nordestina.

A produção de feijão, considerando as três safras, está avaliada em 3.328.934 toneladas, 5,0% inferior a do levantamento de abril. A variação na produção do feijão 1ª safra foi de -9,0%, a do 2ª safra foi de -2,5% e a do 3ª safra foi de +4,8%.

E para o café, a produção é estimada em 2.745.893 t (45,8 milhões de sacas), com alta de 1,8% frente a abril. A área total ocupada com a cultura de café é de 2.359.124 ha. O acréscimo pode ser creditado aos aumentos de produção em Rondônia (+34,8%), Espírito Santo (+2,3%) e Mato Grosso (+42,1%).

(NM - Agência IN)