MPEs lideram queda nos pedidos de falência, diz Serasa

SÃO PAULO, 7 de abril de 2010 - As falências e recuperações mostraram queda no primeiro trimestre de 2010, na comparação anual. Segundo o Indicador Serasa Experian, as recuperações judiciais requeridas caíram 50,2%, enquanto as falências requeridas recuaram 4,2%.

Segundo os técnicos da Serasa, estes recuos decorrem da comparação entre duas conjunturas econômicas opostas: nos primeiros três meses deste ano, o país passa por forte crescimento, enquanto que no mesmo período de 2009, a economia experimentava o momento mais crítico da crise financeira global.

Com relação às falências requeridas, a queda foi mais acentuada entre as micro, pequenas e médias empresas. Nas grandes empresas, registrou-se aumento de 6,9% no número de falências requeridas, referente às companhias exportadoras que encontram dificuldades em gerar receitas devido ao fraco crescimento da economia global e ao real valorizado.

As dificuldades das empresas exportadoras também aparecem na comparação entre as falências decretadas durante os três primeiros meses de 2010 e de 2009. As médias empresas são as únicas que apresentam evolução, dados os entraves para exportar e também em obter crédito, dado que os recursos para pessoas jurídicas ainda não retornaram aos patamares pré-crise

Na composição mensal, há crescimento na maior parte dos indicadores, por conta do maior número de dias úteis no terceiro mês do ano (23), contra 18 em fevereiro. É importante notar que, em março de 2010, foi registrado o menor volume de falências requeridas e decretadas para o terceiro mês do ano desde a promulgação da Nova Lei de Falências em 2005, confirmando assim que a economia está a todo vapor, com as empresas na mesma direção.

(Redação - Agência IN)