Pão de Açúcar vai investir R$ 5 bi

Marta Nogueira, Jornal do Brasil

RIO - O Grupo Pão de Açucar, maior empresa de varejo da América Latina, anunciou quarta-feira o investimento de R$ 5 bilhões para a inauguração de 300 novas lojas nos próximos três anos. Depois de crescer no setor de eletrodomésticos, com as aquisições do Ponto Frio e das Casas Bahia, o grupo pretende atuar com força no setor de postos de gasolina e drogarias.

O plano de investimentos da companhia é recorde para um único triênio e representa uma elevação de 70% ante o valor aplicado no período anterior (2007/2009). Somente em 2010, os planos incluem a abertura de 100 lojas e a criação de 40 mil vagas, sendo 10 mil para colaboradores diretos..

Atualmente, o grupo tem 78 postos de gasolina e 147 drogarias. A maioria é diretamente ligada a supermercados e hipermercados, o que deve começar a mudar este ano. Os postos e as lojas poderão ser abertas independentemente e receberão a marca Extra. Os planos da empresa também prevêem a extinção das bandeiras Compre Bem e Extra Eletro aos poucos.

Para Abílio Diniz, presidente do Conselho de Administração do Grupo, os investimentos que serão realizados foram programados com confiança no crescimento econômico brasileiro.

Vivemos um grande momento e veremos uma economia ainda mais robusta nos próximos anos afirmou Diniz.

O consultor de varejo Antônio César Carvalho de Oliveira, diretor da Acomp consultora, afirma que o grande desafio agora para o Pão de Açucar é sincronizar os diferentes setores. Segundo ele, o grupo já havia se estabelecido no setor de supermercados, que já é bastante complexo.

Agora, com fortes marcas de eletroeletrônicos e com metas em direção a outros setores haverá muito trabalho a se fazer. declarou Oliveira. Para ele, desde a unificação dos sistemas de informática internos até a propaganda para atingir públicos-alvo diferentes são missões necessárias.

Expectativas

Com um cenário de maior oferta de empregos, crescimento de renda e aumento das classes C e D, analistas de varejo afirmam que a economia brasileira está superaquecida e que o setor é o maior favorecido.

De acordo com o consultor de varejo Luiz Freitas, o Brasil vive um momento quase perfeito. Não que estejamos imunes a qualquer tipo de risco econômico, mas estamos muito fortes em relação ao resto do mundo , declarou. Segundo ele, o mercado interno está muito fortalecido e todas as expectativas impulsionam o varejo.

Os eventos como Copa e Olimpíadas, assim como o pré-sal, ajudam os consumidores se manterem otimistas e comprar mais completou.

Previsões também indicam um cenário com mais aquisições e fusões para 2010.

Grandes marcas de varejo estão estabelecidas no mercado e saturadas em grandes centros. A tendência é uma migração para regiões mais distantes e a compra de marcas menores afirmou o consultor de varejo Grupo Azo, Marco Quintarelli.

Aquisições tornam grupo gigante do setor varejista

Grandes fusões e aquisições nos últimos tornaram o grupo Pão de Açúcar um gigante de varejo do país, com faturamento bruto de R$ 26,2 bilhões, em 2009. A primeira grande associação foi em 2002, quando a rede comprou a concorrente Sé Supermercados, com 60 lojas no Estado de São Paulo, e faturamento bruto de R$ 1 bilhão.

Em 2003, o Pão de Açúcar associou-se ao grupo Sendas, rede de supermercados do Rio de Janeiro com forte tradição. A união ajudou o Pão de Açucar a se estabilizar no setor de supermercados. Em 2005, foi criada uma nova holding e o controle do Pão de Açúcar passou a ser dividido igualmente entre Abílio Diniz e o grupo francês Casino.

Já em julho do ano passado, o grupo do Abílio Diniz resolveu entrar também no setor de eletroeletrônicos e comprou o Ponto Frio. O valor da aquisição foi de R$ 824,5 milhões, equivalente a 70,24% do capital total do Ponto Frio na época.

Em dezembro de 2009, o Pão de Açucar anunciou um acordo de fusão com a Casas Bahia. A associação uniu as operações do Ponto Frio (Globex), das Casas Bahia e do Extra Eletro (Grupo Pão de Açúcar), com integração dos negócios no setor de varejo e de comércio eletrônico, conolidou a liderança do Pão de Açucar no varejo brasileiro.